PUBLICIDADE

Com imagens de armadilhas fotográficas, cientistas criam o maior banco de fotos de animais da Amazônia

Com imagens de armadilhas fotográficas, cientistas criam o maior banco de fotos de animais da Amazônia

A Floresta Amazônica concentra uma das maiores biodiversidades do planeta. De acordo com o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), estima-se que ela seja o habitat de cerca de 40 mil espécies de plantas, 300 de mamíferos e 1,3 mil de aves. Todavia, o monitoramento e o estudo dessa fauna e flora tão diversa é muito difícil, numa área tão grande – 8,5 milhões de km2 – e de acesso restrito. Entretanto, cientistas acabam de anunciar a criação do maior banco de imagens de animais vertebrados da Amazônia.

O novo acervo, compilado a partir de registros obtidos com câmeras de armadilhas fotográficas, possui 154.123 imagens de 317 espécies de 185 aves, 119 mamíferos e 13 répteis. As fotos foram feitas em oito países amazônicos: Bolívia, Colômbia, Equador, Guiana Francesa, Peru, Suriname, Venezuela e Brasil.

Em artigo científico publicado na revista Ecology, o enorme grupo de pesquisadores de mais de 120 organizações internacionais envolvidos na análise revela que as espécies mais frequentemente observadas entre os mamíferos foram pacas, entre aves o mutum-cavalo e entre os répteis o teiú-branco.

Com imagens de armadilhas fotográficas, cientistas criam o maior banco de fotos de animais da Amazônia

O urso-de-óculos: única espécie de urso da América do Sul

O uso de armadilhas fotográficas, presas geralmente em árvores, é considerado um excelente método de estudo pois não é invasivo. As câmeras são acionadas a partir de movimento. Com isso, é possível registrar momentos raros, como acasalamento, cuidado com filhotes e hábitos alimentares sem a interferência humana.

“As informações detalhadas neste documento de dados abrem oportunidades para novos estudos ecológicos em diferentes escalas espaciais e temporais, permitindo uma avaliação mais precisa dos efeitos da perda de habitat, fragmentação, mudança climática e outros processos de defaunação mediados pelo homem em um dos mais importantes e ameaçados ambientes tropicais do mundo”, afirmam os cientistas no texto.

Com imagens de armadilhas fotográficas, cientistas criam o maior banco de fotos de animais da Amazônia

Filhotes de onça-pintada brincando com a mãe

O conjunto de dados não é restrito por direitos autorais e os pesquisadores convidam colegas a usar os dados dados em novas publicações.

Abaixo um vídeo que mostra um pouco desse “BB Animal” da Floresta Amazônica:

Leia também:
No alto das copas das árvores da Amazônia, cientistas descobrem diversidade surpreendente e desconhecida de insetos
Descobertas duas novas espécies de peixes na Amazônia: uma delas é considerada “miniatura” pois tem apenas 2 centímetros
Cientistas flagram botos “brincando” com uma sucuri em rio da Amazônia
Substância de rã da Amazônia, conhecida por poder antibiótico, tem patentes registradas em países como França, Japão e Estados Unidos
Mais de 200 novas espécies de peixes de água doce foram descritas em 2021: quatro delas na bacia do Xingu, como o cascudo ‘wolverine’

Fotos: divulgação  Wildlife Conservation Society

Comentários
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Notícias Relacionadas
Sobre o autor
PUBLICIDADE
Receba notícias por e-mail

Digite seu endereço eletrônico abaixo para receber notificações das novas publicações do Conexão Planeta.

  • PUBLICIDADE

    Mais lidas

    PUBLICIDADE