Com design inspirado na natureza, nova sede da Amazon terá 100% da energia originária de usina solar

Com design inspirado na natureza, nova sede da Amazon terá 100% da energia originária de fazenda solar

Certamente o edifício em forma de espiral no centro do projeto é a primeira coisa que atrai nosso olhar no design criado pelo escritório de arquitetura NBBJ para a nova sede da Amazon, nos Estados Unidos, a HQ2. O complexo, que será construído na cidade de Arlington, próximo à capital Washington D.C., contará com três prédios, diversas áreas de lazer e descanso para seus milhares de funcionários (o número estimado é de 25 mil).

O projeto, com custo estimado em U$ 2,5 bilhões, pretende revitalizar completamente a região onde será instalado. E investir fortemente no chamado “green building”, ou seja, técnicas de construção verde e mais sustentáveis, através da certificação LEED Platinum.

Toda a eletricidade gerada para atender a demanda do complexo será produzida em uma fazenda solar, no estado vizinho da Virginia. Segundo Dale Alberda, arquiteto chefe da NBBJ, a principal meta do projeto é conectar as pessoas com a natureza.

Por isso mesmo o edifício central, batizado de Helix, terá em todo seu entorno, tanto nas áreas externas, como internas, jardins com plantas e árvores de espécies nativas. Em meio a esse verde todo, os colaboradores da Amazon poderão escolher ambientes alternativos de trabalho.

“O Helix teve inspiração no mundo natural, onde a geometria da dupla hélice pode ser encontrada em muitas formas, incluindo plantas, conchas, ems nossos DNAs e até mesmo, na nossa galáxia”, diz Alberda.

Com design inspirado na natureza, nova sede da Amazon terá 100% da energia originária de usina solar

O complexo fica próximo ao rio Potomac

Além da energia solar, os prédios terão um sistema de reciclagem da água da chuva e o uso máximo possível de ventilação natural, assim como da luz do sol.

Já nas áreas térreas de interação entre os prédios haverá um anfiteatro para shows e apresentação de filmes ao ar livre, parques para cachorros, além de espaços para food trucks e feiras com alimentos vendidos por produtores locais. A prioridade total será dada a pedestres.

As áreas comuns dos prédios poderão ser usadas pelos moradores do bairro

A previsão é que todo o complexo, que tem acesso próximo a estações de metrô, fique pronto em 2025.

“Acreditamos que esta sede deve ser integrada ao bairro, não fechada, não um local apenas para funcionários da Amazon”, afirma John Schoettler, vice-presidente global de Imóveis e Instalações da Amazon.

Com design inspirado na natureza, nova sede da Amazon terá 100% da energia originária de usina solar

Design do projeto priorizou espaços verdes e abertos

Quando anunciou a construção de uma nova sede nos Estados Unidos, a Amazon recebeu mais do que 230 propostas de cidades e estados dispostos a oferecer benefícios para receber o complexo, como generosos incentivos e isenções fiscais. No caso do escritório NBBJ, ele já havia sido responsável pela revitalização do escritório da empresa em Seattle e tem diversos outros trabalhos focados em energia sustentável e design verde.

—————————————————————————————————–

*Atualizado em 28/05/21
O Conexão Planeta gostaria de esclarecer que está a par de todas as denúncias que funcionários do Amazon têm feito sobre as condições de trabalho ruins oferecidas pela empresa. Nossa reportagem foi feita somente para mostrar as novas tendências da arquitetura verde e de maneira nenhuma enaltecer ou omitir más-práticas da companhia.

Leia também:
Escolas verdes: alunos mais saudáveis e notas melhores
Novos prédios e casas de Nova York serão obrigados a ter telhado verde ou painéis solares
Prédio terá 23 mil árvores para melhorar qualidade do ar
Escola rural do Tocantins ganha prêmio internacional de arquitetura Building of the Year 2018
Museu do Amanhã ganha prêmio internacional de “Construção Verde Inovadora”

Imagens: divulgação NBBJ/Amazon

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta