PUBLICIDADE

Colorido peixe-ventosa é nova espécie descoberta na remota Ilha da Trindade

Coloridíssimo peixe-ventosa é nova espécie descoberta na remota Ilha da Trindade

Pouco conhecido da maioria dos brasileiros, o arquipélago de Trindade e Martim Vaz fica a 1.200 km de Vitória, no Espírito Santo. A ilha de Trindade é o ponto mais a leste do Brasil, o mais distante da costa, e onde acontece o primeiro nascer do sol do país.

A região abriga uma enorme riqueza de espécies marinhas, como moluscos, peixes de mar aberto, tubarões, golfinhos, baleias, esponjas, além de dezenas de espécies de peixes recifais endêmicas, ou seja, que só existem ali e em nenhum outro lugar do planeta.

Por isso mesmo, o lugar é um paraíso para pesquisadores interessados em desvendar mais sua biodiversidade. Foi graças ao trabalho de um grupo deles que uma nova espécie de peixe foi descrita em Trindade: um peixe-ventosa, muito colorido, batizado de Acyrtus simon.

PUBLICIDADE

Com cerca de 3 cm, a espécie que possui tons de rosa é observada em águas rasas, próximos dos recifes vulcânicos da ilha, e usa suas ventosas para se fixar em rochas e não ser levada pela correnteza.

“Em 1995, observei um exemplar. Já fui oito vezes para Trindade. Acho que, somando todas as viagens, eu fiquei quase 100 dias na ilha fazendo mergulhos científicos autônomos com cilindros. Mas só depois conseguimos mais exemplares e conseguimos realizar as comparações e investigações que possibilitaram descrever a espécie”, contou o biólogo João Luiz Rosetti Gasparini, à reportagem do portal G1.

Especialista em peixes, ele é um dos autores de um artigo científico que descreve a nova espécie brasileira. O nome escolhido para batizá-la é uma homenagem a Thiony Simon, doutor em biologia animal pela Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), que faleceu em um mergulho durante seu pós-doutorado.

O estudo genético do peixe-ventosa foi essencial para confirmar que aquela era realmente uma nova espécie.

“Nós só conseguimos estudar e conservar o que conhecemos. O primeiro passo é descrever as espécies para depois entender a ecologia, biogeografia e conservação de cada uma delas”, ressalta Gasparini.

Coloridíssimo peixe-ventosa é nova espécie descoberta na remota Ilha da Trindade

O peixe-ventosa sobre uma rocha
(Foto: João Luiz Gasparini)

Para o cientista, a preservação da região de Trindade e suas ilhas oceânicas é vital.

“Trindade é um universo, uma vida só não é o suficiente para estudar esse lugar”, diz. “A fauna, assim como a flora de Trindade, desperta um interesse extremo nos pesquisadores devido ao isolamento geográfico, que propiciou a evolução de espécies únicas, endêmicas, neste pequeno ponto imerso no meio do Atlântico”.

*Com informações e entrevistas adicionais concedidas à Revista Universidade da Ufes

Leia também:
Bagres escaladores de cachoeiras: as espécies que vivem em riachos e córregos no alto das montanhas brasileiras
201 novos peixes de água doce são descritos: entre eles, nove bagres vampiros da Amazônia, que se alimentam de sangue
Descobertas duas novas espécies de peixes na Amazônia: uma delas é considerada “miniatura” pois tem apenas 2 centímetros

Foto de abertura: João Luiz Gasparini

Comentários
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Notícias Relacionadas
Sobre o autor
PUBLICIDADE
Receba notícias por e-mail

Digite seu endereço eletrônico abaixo para receber notificações das novas publicações do Conexão Planeta.

  • PUBLICIDADE

    Mais lidas

    PUBLICIDADE