PUBLICIDADE

Cientistas registram nascimento de milhões de tartarugas-da-amazônia, durante maior desova desses animais no planeta

Um espetáculo da natureza que se repete todos os anos. E dessa vez, foi documentado através de vídeos e fotos pelos pesquisadores da Wildlife Conservation Society (WCS). Quando chega o final de setembro, milhares de fêmeas adultas de tartarugas-da-amazônia (Podocnemis expansa) se reúnem em praias ao longo do rio Guaporé/Iténez, na fronteira do Brasil com a Bolívia. Lá acontece a nidificação anual e a eclosão dos filhotes, no que é considerada a maior agregação e desova de tartarugas do planeta.

A Podocnemis expansa é a maior espécie de tartaruga de água doce da América Latina: seu casco pode medir até mais de 1 metro e pesar cerca de 90 kg. As fêmeas colocam, em média, 100 ovos em cada ninho. São aproximadamente 60 dias de incubação, até que nasçam os filhotes entre novembro e o início de janeiro.

Na temporada de 2022, os cientistas da WCS, em parceria com a Ecovale, usaram drones para para estimar o número de tartarugas adultas e filhotes nascidos. Acredita-se que no ano passado estiveram ali 80 mil fêmeas.

“A nidificação anual e a eclosão da tartaruga-da-amazônia é um dos grandes espetáculos naturais da Terra. É visualmente deslumbrante, mas também extremamente importante ecologicamente para o ecossistema da Amazônia Ocidental”, diz Camila Ferrara, especialista em tartarugas do Programa WCS Brasil.

O objetivo do censo e monitoramento é traçar estratégias de proteção às praias de desova. É um esforço conjunto entre pesquisadores brasileiros e bolivianos.

Espetáculo anual da natureza
(Foto: Marcos Amend/WCS)

Antigamente, milhões desses quelônios eram observados nessa região amazônica. Historiadores relatam um verdadeiro “massacre” da Podocnemis expansa em séculos passados. Entre 1700 e 1903, algo em torno de 214 milhões de ovos foram coletados e enviados à Europa para atender à demanda por energia naquele continente. A espécie é um alvo fácil para a captura, uma vez que costuma desovar em praias, onde fica bastante exposta e vulnerável.

Além disso, a tartaruga-da-amazônia também é caçada por causa de sua carne.

Cientistas registram nascimento de milhões de tartarugas-da-amazônia, durante maior desova desses animais no planeta

Imagem aérea mostra as milhares de tartarugas no rio
(Foto: Marcos Amend/WCS)

Cientistas registram nascimento de milhões de tartarugas-da-amazônia, durante maior desova desses animais no planeta

Um filhotinho de Podocnemis expansa: a maior tartaruga de água-doce da América Latina
(Foto: WCS)

Atualmente na Amazônia podem ser observadas 21 espécies de quelônios, entre aquáticos, semi-aquáticos e terrestres. As tartarugas têm um importante papel em seus ecossistemas. Ao dispersar sementes, ajudam a regenerar a vegetação ao longo dos rios.

Leia também:
Perema-do-Pará é o nome da nova tartaruga de água doce descrita por pesquisadores brasileiros na Amazônia
Descoberta uma nova espécie de tartaruga na Amazônia, com características completamente diferentes das demais já conhecidas
Mais de 100 mil filhotes de tartarugas-da-amazônia nascem em 2020, número recorde observado em Tocantins

Foto de abertura: Nikon Corporation/WSC)

Comentários
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Notícias Relacionadas
Sobre o autor
PUBLICIDADE
Receba notícias por e-mail

Digite seu endereço eletrônico abaixo para receber notificações das novas publicações do Conexão Planeta.

  • PUBLICIDADE

    Mais lidas

    PUBLICIDADE