Cientistas criam o primeiro mapa com a distribuição global de espécies de abelhas

Cientistas criam o primeiro mapa com a distribuição global de espécies de abelhas

Há muito tempo os cientistas já alertam sobre o declínio da população de insetos no mundo inteiro, provocado pela perda de habitat, desmatamento e uso de agrotóxicos nas lavouras. A consequência na queda do número de polinizadores, como as abelhas, é um risco à segurança alimentar do planeta: eles são essenciais na produção de diversos cultivos.

Mas um grupo de pesquisadores internacionais acaba de publicar um artigo científico na revista Current Biology em que relatam a elaboração do primeiro mapa com a distribuição global das mais de 20 mil espécies de abelhas conhecidas pela ciência.

Para especialistas, o mapa pode ser um importantíssimo aliado na conservação e para entender melhor, por exemplo, como esses insetos respondem a ameaças, como as mudanças climáticas.

Os cientistas analisaram mais de 5,8 milhões de registros de ocorrência em diferentes parte do mundo para conseguir visualizar onde elas são mais encontradas e o que esses lugares têm em comum.

Os pesquisadores chegaram à conclusão de que abelhas evitam ecossistemas tropicais úmidos e prefem áreas secas e sem árvores, diferentemente de outras espécies, que preferem ambientes tropicais próximos ao Equador. O estudo revelou que a maior diversidade desses polinizadores vive no Hemisfério Norte, em duas bandas ao redor do globo – principalmente em zonas temperadas.

“Possuir informação sobre a distribuição das espécies contribui para o nosso conhecimento sobre elas, e também, sobre as decisões de conservação e manejo local e regionalmente”, afirmam os autores do estudo.

O mapa mostra que as abelhas se concentram mais em regiões do sudoeste dos EUA, na Bacia do Mediterrâneo, no Oriente Médio e na Austrália, distantes das áreas polares

Leia também:
Petição popular vira lei para proteger abelhas na Alemanha
Vitória proíbe uso de neonicotinóide, agrotóxico que mais mata abelhas no mundo
Abelhas podem estar se tornando ‘viciadas’ em agrotóxicos, revela estudo
Morgan Freeman transforma sua fazenda em um santuário para as abelhas
A beleza das abelhas em 11 retratos incríveis

Foto: domínio público/pixabay

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

2 comentários em “Cientistas criam o primeiro mapa com a distribuição global de espécies de abelhas

  • 24 de novembro de 2020 em 12:11 PM
    Permalink

    Mapa estranho… parece ter levado em consideração apenas a apis mellifera, sem considerar espécies adaptadas a outros ecossistemas, como as abelhas sem ferrão …

    Resposta
    • 24 de novembro de 2020 em 2:21 PM
      Permalink

      Mayane,
      Os pesquisadores levaram em conta todas as informações públicas disponíveis em diferentes países, todavia, infelizmente, em alguns lugares não há pesquisas e estudos relevantes sobre o tema.
      Abraço,
      Suzana

      Resposta

Deixe uma resposta