China anuncia criação de cinco parques nacionais: objetivo é preservar ecossistemas e espécies em risco de extinção

China anuncia criação de cinco parques nacionais: objetivo é preservar ecossistemas e espécies em risco de extinção

Durante participação na 15ª Conferência das Partes (COP) da Convenção sobre a Biodiversidade (CDB) das Nações Unidas, realizada este ano na China, o presidente Xi Jinping anunciou que o país irá criar cinco grandes parques nacionais: Sanjiangyuan National Park, Wuyi Mountain National Park, Giant Panda National Park, Northeast China Tiger e Leopard National Park and the Hainan Tropical Rainforest National Park. A área total dos parques engloba cerca de 230 mil km2, desde o norte do Tibet até a região sul, perto da ilha de Hainan.

Até então, o país asiático tinha apenas reservas naturais. São mais de 10 mil, todavia, sua administração era muitas vezes local e agora o governo terá um sistema único, concentrado nos parques nacionais.

“Serão incluídas no sistema as áreas de maior importância para o ecossistema natural, com as paisagens naturais mais singulares, o patrimônio natural mais valioso e a maior reserva de biodiversidade”, disse Xi Jinping.

O processo para a seleção dos locais incluiu um projeto piloto, que contou com dez possíveis parques. O objetivo é que cada um deles proteja o habitat de algumas espécies ameaçadas de extinção.

É o caso, por exemplo, do Giant Panda National Park, onde vivem 1.631 pandas, cerca de 70% da população total desses animais na China.

Recentemente, como contei aqui, o panda gigante deixou de ser considerado criticamente ameaçado de extinção na China, passando à categoria “vulnerável”, ou seja, ainda necessita de proteção, mas o número de indivíduos já apresenta um aumento expressivo.

Os pandas são observados principalmente em florestas temperadas, no alto das montanhas do sudoeste do território chinês. O novo parque anunciado cobrirá três províncias – Sichuan, Shaanxi e Gansu -, e atravessa as montanhas Minshan, Qionglai, Daxiangling e Qinling.

Já o Northeast China Tiger and Leopard National Park pretende proteger os tigres e leopardos siberianos. E em Hainan, único lugar do mundo que abriga o gibão-de-crista-preta, a intenção do governo é que não apenas esse primata ganhe proteção, mas que a floresta tropical mais bem preservada do país continue assim.

De acordo com a China’s National Forestry and Grassland Administration, apenas para a gestão e manutenção do Sanjiangyuan National Park já foram contratados 17.200 funcionários.

Além da preservação ambiental, um dos focos é incrementar o ecoturismo e promover o desenvolvimento econômico das comunidades em torno dos novos parques.

*Com informações da CNN e Global Times

Leia também:
Manada de elefantes que cruzou mais de 500 km na China, atravessando cidades e vilarejos, volta à reserva de proteção
Panda gigante deixa de ser considerado criticamente em risco de extinção na China
China retira escamas de pangolim de lista de ‘ingredientes’ permitidos para uso na medicina tradicional

Foto: Bruce Hong on Unsplash

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta