Casal de pumas, possivelmente “prenho”, avistado no Parque Nacional do Iguaçu, terá nomes escolhidos em votação pela internet

Casal de puma, possivelmente "prenho", avistado no Parque Nacional do Iguaçu, terá nomes escolhidos em votação pela internet

Puma, leão-baio, suçuarana, boiadeira, onça-vermelha. Esses são os diversos nomes que a onça-parda (Puma concolor) recebe em diferentes regiões do Brasil. Bem menor em tamanho do que a onça-pintada, a grande diferença entre elas está na pele, já que a parda é toda bege, apenas com uma coloração mais clara no ventre. Este felino, extremamente ági,l pode saltar do chão para uma árvore, a uma altura de 5,5 metros, em um só pulo.

Há poucos dias, o Projeto Onças do Iguaçu compartilhou em suas redes sociais que as armadilhas fotográficas instaladas ao longo do Parque Nacional do Iguaçu, no Paraná, flagraram a imagem de um casal de pumas. Nada demais, não fosse que os biólogos suspeitam que a fêmea está esperando um filhote.

Os dois já tinham sido observados anteriormente, em outras gravações. Assim como outros felinos, os pumas são animais de hábitos solitários, todavia, no período de cio das fêmeas, os casais são vistos circulando juntos.

As onças-pardas têm geralmente dois filhotes (mas podem ter mais) e a gestação dura cerca de 82 a 96 dias. A mãe cuida sozinha de suas crias.

Animados com a novidade, os biólogos do Onças do Iguaçu resolveram criar uma votação online para escolher dois nomes para batizar o casal de pumas.

A votação acontece no perfil do projeto no Instagram e as opções de nomes são as seguintes:

1. Favo de Mel e Petruchio*
2. Mariluci e Anselmo

Quem conta direitinho sobre essa história é a Yara Barros, coordenadora do Onças do Iguaçu, no vídeo abaixo:

Reconhecimento ao trabalho de conservação

No final do ano passado, Yara foi a vencedora do Ron Magill Conservation Heroes Award, que identifica a contribuição excepcional de profissionais e projetos à conservação da fauna silvestre na América Latina e no Caribe (leia mais aqui).

O trabalho realizado pelo Onças do Iguaçu não se restringe apenas ao monitoramento das onças-pintadas, mas engloba ações de educação e conscientização, fundamentais para que as pessoas possam entender a importância da conservação e do respeito a essa espécie e seu habitat para sua sobrevivência, tão ameaçada.

A onça-parda no Brasil

Ameaçada de extinção, a onça-parda é uma espécie de topo de cadeia, fundamental para o equilíbrio de todo o ecossistema e biodiversidade. A supressão desse animal causa violento desequilíbrio natural. Sua principal função é controlar a superpopulação de diversos outros bichos.

Estima-se que, atualmente, apenas mil onças-pardas ainda vivam em toda a Mata Atlântica. A redução das áreas naturais provocou o desaparecimento do puma em diversas regiões do Brasil. E a falta de alimento nos locais remanescentes, muita vezes, o leva a atacar criações de gado e de ovelhas, o que o ameaça ainda mais.

Originalmente, a onça-parda ocorria em quase todo o território brasileiro, bem como nas três Américas, desde o Chile e norte da Argentina até o norte do Canadá.

*No vídeo, Yara fala Flor de Mel, mas o nome correto para a votação é Favo de Mel!

Leia também:
Onça-parda é flagrada por câmera escondida em floresta de Mata Atlântica no estado do Rio de Janeiro
Esforço recompensado: onça-parda é vista em reserva do Cerrado

Censo revela aumento da população de onças-pintadas no sul do Brasil

Foto: reprodução vídeo

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Um comentário em “Casal de pumas, possivelmente “prenho”, avistado no Parque Nacional do Iguaçu, terá nomes escolhidos em votação pela internet

  • 22 de maio de 2020 em 7:21 PM
    Permalink

    Notícia animadora! Tomara q dê tudo certo para esse casal felino.
    Q o projeto siga firme e forte na conscientização e preservação das espécies.
    Parabéns aos envolvidos!
    😻🙏🏼🤞🏼

    Resposta

Deixe uma resposta