Canadenses se unem para salvar árvore com 250 anos – mais antiga que o próprio país

Canadenses se unem para salvar árvore com quase 300 anos - mais antiga que o próprio país

Ela é um carvalho vermelho, com quase 25 metros de altura e com um tronco que tem 5 metros de circunferência. Assim como outras árvores majestosas dessa espécie, ela resiste imponente ao passar dos séculos – mais especificamente, dois séculos e meio. Essa é a idade estimada dessa agora famosa árvore de Toronto, capital da província de Ontário, no Canadá, e que se tornou o centro de uma mobilização popular.

O carvalho fica no quintal de uma residência antiga, uma construção da década de 60, localizada em um bairro residencial da cidade. Todavia, nos últimos anos, o proprietário da casa declarou publicamente que não tinha condições de fazer a manutenção da árvore, que já expandiu suas raízes por todo o terreno.

O problema foi levado para a prefeitura e em 2018, através de uma votação, decidiu-se que a propriedade seria comprada pelo poder público e transformada em um pequeno parque. Todavia, no acordo, ficou estabelecido que parte do dinheiro para a compra do terreno deveria vir de doações privadas.

Foi iniciado então um financiamento coletivo e a população tem até o final de 2020 para arrecadar 50% do valor necessário para a realização do projeto. Até este momento, foi doado apenas 30% do dinheiro necessário, mas os moradores do bairro estão otimistas, principalmente, uma das mais ardorosas defensoras do carvalho centenário, Edith George, de 68 anos.

Nos últimos 14 anos, ela tem lutado pela preservação da árvore. “Nenhuma outra árvore no Canadá pode contar histórias como esta”, diz. “Quando alguma coisa ruim acontece, não vou à igreja. Venho até aqui porque é como a minha catedral. É uma sobrevivente e nos dá esperança em um planeta que está em perigo“.

Canadenses se unem para salvar árvore com quase 300 anos - mais antiga que o próprio país

Edith, ao centro, em frente ao carvalho

De acordo com historiadores, o carvalho gigante fazia parte de uma trilha do Vale de Humber usada por povos indígenas no passado e mais tarde, era rota comercial dos europeus que chegaram ao continente. Grandes árvores eram utilizadas como ponto de referência nessas jornadas. Acredita-se que o carvalho hoje centenário provavelmente já era muito grande quando os franceses perderam o território para os britânicos, que estabeleceram a cidade de York – que mais tarde se tornaria Toronto – em 1793.

Canadenses se unem para salvar árvore com quase 300 anos - mais antiga que o próprio país

O carvalho imponente, com suas folhas verdes durante os meses de calor

Além de toda história que essa árvore representa, ela também cumpriu – e ainda cumpre – um papel importante para o meio ambiente. Estimativas apontam que ela já absorveu mais de 11 toneladas de carbono da atmosfera durante sua existência.

——————————————————————————

O Canadá se tornou independente do Reino Unido em 1867, ou seja, ele tem 153 anos como país, bem mais novo do que o carvalho vermelho.

*Com informações da agência de notícias Associated France Press

Leia também:
Coníferas: árvores da época dos dinossauros, ainda habitam regiões do Brasil, Estados Unidos e Nova Zelândia
Um trilhão de árvores: a iniciativa global pela preservação da biodiversidade e combate às mudanças climáticas
Plantar árvores salva milhões de vidas nas grandes cidades
Quer salvar as florestas? Salve as aves!

Fotos: domínio público/pixabay (abertura), reprodução Facebook Edith George e divulgação Prefeitura de Toronto/cortesia Randy Van Der Starren

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta