PUBLICIDADE

Campanha arrecada quase R$ 10 milhões para resgatar às pressas crianças órfãs de um abrigo no sul da Ucrânia

Campanha arrecada quase R$ 10 milhões para resgatar às pressas crianças órfãs de um abrigo no sul da Ucrânia

Se a situação já é desesperadora em meio à guerra na Ucrânia para crianças que têm família, é fácil imaginar o medo daquelas que vivem em abrigos. É o caso na escola judaica Tikva, na cidade de Odessa, ao sul do país, a mais de 400 km da capital Kiev. No local, onde também funciona um colégio, moram menores que foram resgatados das ruas ou de situações de abuso.

Na semana passada, a instituição fez um pedido de ajuda em suas redes sociais. “Estamos em estado de emergência! Com a guerra na Ucrânia em pleno vigor, devemos garantir que temos os meios para manter nossas crianças a salvo de ameaças reais e imediatas às suas vidas”.

Até aquele momento, a ideia era manter todos no local, mas na quinta (03/03), os bombardeios começaram a ficar muito próximos da escola.

“Assim que o bombardeio aconteceu perto do orfanato das meninas, decidi que tínhamos que evacuar imediatamente, às sete horas da manhã de sexta-feira. Nós precisávamos tirar todo mundo de Odessa”, contou Refael Kruskal, administrador do abrigo ao site The Jewish Chronicle.

Foi então que, depois de uma mobilização que envolveu uma campanha promovida na Inglaterra que conseguiu arrecadar £1,4 milhão, quase R$ 10 milhões, decidiu-se pela retirada das crianças do abrigo, assim como estudantes e funcionários da escola.

Quatorze ônibus saíram de Odessa levando centenas de pessoas, com destino à Romênia, Moldávia e outros países vizinhos. A jornada foi assustadora. Os veículos passaram em meio a barricadas e estradas destruídas.

“Quero agradecer a todos pelo apoio até agora – foi realmente a diferença entre a vida e a morte.
Embora esta notícia seja um grande alívio, ainda há um longo caminho pela frente. Os custos envolvidos na travessia em si e a logística do entorno foram astronômicos. Continuamos a contar com o seu generoso apoio para podermos salvar vidas”, dizem os idealizadores da campanha que está ajudando a Tikva Odessa.

Fundada em 1993, a Tikva era inicialmente uma escola para estudantes judaicos. Mas logo seu idealizador, o rabino Shlomo Baksh percebeu que havia muitas crianças abandonadas e em situação de risco nas comunidades mais pobres de Odessa. Ele decidiu acolher esses menores para oferecer não apenas uma casa, mas uma educação que pudesse garantir um futuro melhor para eles.

Segundo o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur), o número de ucranianos obrigados a abandonar suas casas já passa de 1,5 milhão. Se a guerra continuar, há um temor que os refugiados cheguem a 4 milhões.

Leia também:
Faces da guerra: sozinho, menino de 11 anos foge da Ucrânia e atravessa a fronteira para a Eslováquia
Animais do zoo de Kiev são levados para Polônia, mas elefantes e único gorila da Ucrânia permanecem na capital sob bombardeios

Brasileira refugiada da guerra na Ucrânia faz apelo para trazer seu cachorro ao Brasil; Itamaraty e Ministério da Defesa se mobilizam
Voluntários lotam estações de trem em Berlim para receber refugiados ucranianos e oferecer refeições e estadia

World Central Kitchen, criada pelo chef espanhol José Andrés, está na fronteira da Ucrânia com a Polônia, distribuindo refeições para refugiados

Foto: reprodução Facebook Tikva Odessa

Comentários
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Notícias Relacionadas
Sobre o autor
PUBLICIDADE
Receba notícias por e-mail

Digite seu endereço eletrônico abaixo para receber notificações das novas publicações do Conexão Planeta.

  • PUBLICIDADE

    Mais lidas

    PUBLICIDADE