Cães serão treinados para farejar fezes de espécies em risco de extinção, em projeto inédito no Brasil com primatas

Cães serão treinados para farejar fezes de espécies em risco de extinção, em projeto inédito no Brasil com primatas

Nash é o nome dessa labrador linda, de apenas cinco meses, na foto acima. Ela é o primeiro cão a ser treinado para um projeto inédito que será realizado no Brasil, com primatas. Os cachorros irão farejar fezes de animais como os muriquis-do-norte, bugios e saguis da-serra e da-serra-escuro, espécies ameaçadas de extinção.

O projeto “Faro para Conservação” está sob a responsabilidade do biólogo Daniel Ferraz, presidente da Rede Eco-Diversa para Conservação da Biodiversidade, e conta com a parceria da Unidade K9 Internacional, empresa especializada na seleção e adestramento de cães.

Ferraz explica que o uso de cachorros farejadores para monitoramento de indivíduos e no trabalho de conservação com felinos e mamíferos, como veados e onças-pintadas, já vêm sendo realizados no país há alguns anos. Mas com primatas será a primeira vez.

No treinamento – o ideal é que seja feito com amostras de fezes de primatas de vida livre e não de cativeiro -, os cães são “premiados” toda vez que as encontram, seja com ração ou petiscos, e assim, recebem um reforço positivo pela descoberta.

Durante o adestramento, os cães são também acostumados com o ambiente da floresta e se tornam “indiferentes” à presença de outros bichos para que não ocorra nenhum incidente. O papel deles ali é apenas encontrar as fezes das espécies para as quais eles foram treinados a farejar. “Animais jovens iniciam o treinamento na guia, sem ser soltos na floresta, todavia, à medida que vão ficando mais experientes, é possível se fazer buscas com eles soltos”, revela Ferraz.

Ao encontrar as fezes no solo, os biólogos conseguem identificar melhor as áreas de distribuição dos primatas. “Inicialmente vamos focar nas fezes dos muriquis-do-norte, espécie que já trabalhamos há muito tempo no Parque Nacional do Caparaó [na divisa dos estados de Minas Gerais e Espírito Santo], duas espécies de sagui, criticamente ameaçadas de extinção, com fezes muito difícil de encontrar na natureza porque são animais muito pequenos, mas os cães conseguem facilmente, e ainda, os barbados ou bugios, que foram muito afetados pela febre amarela. Muitos deles morreram desde 2017”.

Após a coleta das fezes, o biólogo conta que é feita uma análise genética que consegue distinguir a espécie, realizar estudos parasitológicos e sobre a dieta alimentar, além de uma série de outros dados que podem ser obtidos mesmo sem a captura do próprio animal.

A expectativa é que daqui a uns seis ou sete meses Nash já comece sua atividade de campo. Ela será uma importante aliada no trabalho de conservação desses primatas brasileiros.

“Os cães têm uma capacidade muito superior à nossa. Eles enxergam o que não enxergamos, com os focinhos deles”, diz Ferraz. “A nossa intenção é que eles maximizem a busca e nos ajudem a encontrar aquilo que não conseguimos encontrar na floresta, com muita facilidade. Com eles esperamos conseguir um número de informações muito maior, num prazo muito menor”.

Cães serão treinados para farejar fezes de espécies em risco de extinção, em projeto inédito no Brasil com primatas

Nash é a primeira cachorra a ser treinada pelo projeto “Faro para Conservação”

Leia também:
Cão salva a vida do dono, um alpinista ferido, ao ficar durante 13 horas sobre seu corpo, o aquecendo numa montanha gelada
Bear, o cão que resgatou mais de 100 coalas após incêndios na Austrália, recebe homenagem internacional
Cães chegam a Miami para servir como apoio emocional a equipes de resgate e sobreviventes de prédio que desabou
Aeroporto da Finlândia começa a usar cães para detectar passageiros contaminados com o coronavírus

Fotos: Daniel Ferraz

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Um comentário em “Cães serão treinados para farejar fezes de espécies em risco de extinção, em projeto inédito no Brasil com primatas

  • 8 de janeiro de 2022 em 9:16 AM
    Permalink

    Sem o merecido e imprescindível adicional de insalubridade anexado à justa remuneração, nem pensar, né Nash?

    Resposta

Deixe uma resposta