Brasileiro é um dos vencedores de prêmio global com polímero biodegradável a partir da celulose

Brasileiro é um dos vencedores de prêmio internacional com projeto de plástico biodegradável a partir da celulose

Anualmente o prêmio internacional Green Talents, iniciativa do Ministério Federal da Educação e Pesquisa da Alemanha, seleciona os projetos de 25 jovens pesquisadores do mundo todo para promover o intercâmbio global de ideias sustentáveis e ecologicamente inovadoras. Na edição de 2020, um brasileiro está entre os selecionados: o engenheiro químico Filipe Vargas Ferreira, de 32 anos.

Doutorando da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Ferreira, que é de Minas Gerais, concorreu com 589 candidatos de 87 países. Seu projeto tem como foco o desenvolvimento de nanomateriais poliméricos biodegradáveis – plásticos -, para serem usados como embalagens e/ou implantes biomédicos.

De acordo com o engenheiro, atualmente são utilizados polímeros não biodegradáveis nessas áreas e a reciclagem não é recomendada, pois alguns medicamentos ou compostos ativos não conseguem ser removidos durante esse processo.

Para desenvolver o polímero, o engenheiro utilizou nanotecnologia para extrair cristais da celulose, que é abundante na natureza. O produto obtido se mostrou bastante resistente.

“O prêmio é o reconhecimento de um trabalho que venho desenvolvendo durantes alguns anos. Mais importante que isso, o Green Talents é o reconhecimento mundial de uma pesquisa de ponta desenvolvida em uma universidade pública brasileira”, disse Ferreira, em entrevista ao Jornal da Unicamp.

Brasileiro é um dos vencedores de prêmio internacional com projeto de plástico biodegradável a partir da celulose

O engenheiro afirma que ainda são necessários estudos a respeito da capacidade de proteção do polímero contra umidade e trocas gasosas.

Por causa da pandemia do novo coronavírus, os 25 selecionados do Green Talents deste ano participaram, em outubro, de um tour virtual por instituições de pesquisa, universidades e organizações alemãs, que se dedicam à ciência da sustentabilidade. Também tiveram a oportunidade de discutir seus projetos com especialistas.

A previsão é que, em 2021, os ganhadores poderão ir para a Alemanha, com estadia financiada pelo governo daquele país, para trabalhar em uma instituição que escolherem.

O engenheiro mineiro, que cursou mestrado em Engenharia Aeronáutica e Mecânica pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), já tem outras experiências internacionais. Estudou na Universidade de Stuttgart, na Alemanha, como bolsista do programa Ciência sem Fronteiras, e realizou um estágio de pesquisa na Universidade do Texas, nos Estados Unidos.

Estima-se que 359 milhões de toneladas de plástico são produzidas globalmente. Desse total, entre 150 e 200 milhões delas são jogadas em aterros sanitários ou na natureza. Tentar reduzir esse descarte e seu consequente, impacto ambiental, aumentar a capacidade de reciclagem ou de uso de materiais alternativos são alguns dos principais desafios de cientistas, governos e empresas.

Em 2016, dois pesquisadores de São Paulo e uma do Rio de Janeiro também foram premiadas pelo Green Talents.

*Com informações adicionais da Agência Fapesp de Notícias

Leia também:
Para substituir o canudo plástico, que tal um feito de algas marinhas?
Pesquisadores brasileiros desenvolvem curativo cicatrizante com proteína do abacaxi
Estudante do Pará concorre em competição mundial com bioplástico comestível, que prolonga vida de frutas e verduras
Embalagem brasileira que substitui plástico por fibra de coco é finalista em desafio mundial de sustentabilidade

Foto: divulgação Green Talents 2020

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

2 comentários em “Brasileiro é um dos vencedores de prêmio global com polímero biodegradável a partir da celulose

  • 23 de novembro de 2020 em 12:11 PM
    Permalink

    À semelhança de água para viajantes do deserto, brasileiros precisam muito ver o Brasil fazendo bonito lá fora, através de um brasileiro, porque não suportamos mais tanta maracutaia, mentira, idas e vindas, falas e retrocessos de líderes que não nos estão representando à altura do que brasileiros merecem a fim de ser levados à sério como sempre foram, pelos governantes do mundo. Levamos fé em você, Filipe, tâmo junto, Deus o guie e proteja.

    Resposta
  • 24 de novembro de 2020 em 7:59 AM
    Permalink

    Parabéns rapaz tu fazes à diferença! É com honestidade dedicação e muito trabalho que conseguiste te destacar contribuindo para o nosso planeta! Tu nos representa ! Gratidão! Benção de paz e luz!

    Resposta

Deixe uma resposta