Brasileira refugiada da guerra na Ucrânia faz apelo para trazer seu cachorro ao Brasil; Itamaraty e Ministério da Defesa se mobilizam

Texto atualizado em 4/3, às 17h30
Graças à corrente do bem que se formou em torno do drama da Vanessa, provocada pelo engajamento da ativista Luísa Mell, o Itamaraty e o Ministério da Defesa autorizaram a vinda de seu cachorrinho Thor, e se comprometeram a tirar todos os animais domésticos de zonas de risco na Ucrânia. Atualizei o final do texto abaixo, que escrevi ainda pela manhã.
______________

Vanessa Rodrigues Granovskaya morava em Kiev, na Ucrânia. Ela abandonou tudo para fugir dos bombardeios e está refugiada na Embaixada do Brasil. 

Obteve autorização para voltar hoje ao Brasil em um avião da FAB – Força Aérea Brasileira, mas foi impedida de trazer seu cachorro, Thor, já idoso.

A proibição se deve a uma norma da aviação que proíbe cachorros de focinho achatado em suas aeronaves devido ao risco de morte ou de sequelas graves. Mas também à exigência de documentação do animal para embarque, feita pelo Ministério da Agricultura.

Normas e leis têm fundamento, claro, mas esta não é uma situação normal. Vanessa está fugindo de uma guerra! Seu cachorro está com ela desde que morava no Brasil, em Sorocaba (SP), portanto, é um membro da família, que ela – que está grávida – chama de filho. 

Ela declarou à FAB que se responsabiliza por qualquer problema com o animal, decorrente da viagem, “mas não posso deixá-lo pra trás!”, principalmente num cenário de conflito. Portanto, é compreensível que, ao fugir de sua casa em Kiev, ela tenha esquecido de pegar a documentação do animal. 

Desesperada, Vanessa fez um apelo emocionado à ativista e protetora dos animais Luísa Mell, que rapidamente a acolheu. 

Fotos: reproduções de vídeo no Instagram

“Estou muito nervosa com toda a situação, que é muito difícil e eu preciso levar o meu cachorro. Eu não tenho como deixar ele pra trás, não vou fazer isso. Então, eu faço um apelo para que este vídeo chegue à Força Aérea Brasileira, que eles me deixem transportá-lo, sei que é por minha conta e risco”. 

E acrescentou: “Eu não sei mais com quem falar, o que fazer, eu não sei mais a quem recorrer. Mandei mensagens para o Itamaraty, pra FAB…”. 

Muito tocada, Luísa gravou um vídeo para pedir ajuda a seus seguidores e às autoridades e, em seguida, publicou publicou o vídeo de Vanessa em seu perfil. 

A história também emocionou o jornalista André Trigueiro, da Globo News, amigo de Luísa, que também divulgou o apelo de Vanessa em seus perfis nas redes sociais. E ainda contou essa história comovente no programa ‘Papo das 9’, que mantém diariamente no YoutTube e Instagram desde o início da pandemia. 

“Alô FAB! Por favor, vamos permitir o embarque desse cachorrinho, que seja no colo da dona, não vai nem ocupar espaço. Pode-se até, com a recomendação de um veterinário, dar um tranquilizante para ele vir chapado”. 

Itamaraty libera Thor e se compromete a tirar todos os pets brasileiros da Ucrânia

Vanessa feliz com Thor no colo e outra brasileira e seu pet, a caminho de Varsóvia / Foto: Itamaraty

A corrente virtual funcionou! Hoje, Luísa contou que acordou com um áudio da Vanessa contando que conseguiu sair da Ucrânia e recebeu um telefonema do Cônsul que garantiu que ela vai embarcar para o Brasil com seu peludo”.

A ativista ainda destacou que foi contatada por pessoas diversas, de várias partes do mundo, que se solidarizaram com a história de Vanessa.

“Tanta gente se comoveu e tentou ajudar. Recebi telefonemas de pessoas de várias partes do mundo. Jornalistas, politicos, artistas, generais… tanta gente me ligando tentando ajudar. Obrigada a cada um de vcs que tentou. Assim que ela me mandar mais notícias posto aqui. Que felicidade saber que tem tanta gente boa nesse mundo. Por um mundo com mais união pelo bem e sem guerras!”.

Graças à essa mobilização, o Itamaraty e o Ministério da Defesa ajudaram se comprometeram “a retirar todos os pets das zonas de risco na Ucrânia”.

A compaixão, a união e o amor por todos os seres vivos fazem a diferença. Esta história mostra, mais uma vez, que é preciso tornar pública toda e qualquer injustiça e que o engajamento transforma.

Agora, assista ao vídeo gravado por Vanessa logo após conversar com os representantes da Embaixada do Brasil e pouco antes de deixar Lviv rumo à Varsóvia, na Polônia, onde se encontraram com “o pessoal da outra embaixada”, para enfim seguir para o Brasil no avião da FAB. Em seguida, o vídeo que a brasileira enviou para Luísa Mell, na íntegra.

Foto: montagem com fotos do Itamaraty

Mônica Nunes

Jornalista com experiência em revistas e internet, escreveu sobre moda, luxo, saúde, educação financeira e sustentabilidade. Trabalhou durante 14 anos na Editora Abril. Foi editora na revista Claudia, no site feminino Paralela, e colaborou com Você S.A. e Capricho. Por oito anos, dirigiu o premiado site Planeta Sustentável, da mesma editora, considerado pela United Nations Foundation como o maior portal no tema. Integrou a Rede de Mulheres Líderes em Sustentabilidade e, em 2015, participou da conferência TEDxSãoPaulo.

Deixe uma resposta