PUBLICIDADE

‘Braços’ da estrela-do-mar não são membros, mas extensões da cabeça

'Braços' da estrela-do-mar não são membros, mas extensões da cabeça

Sempre se acreditou que a estrela-do-mar, animal marinho invertebrado, tivesse cinco membros, espécies de braços, que saíam da região central de seu corpo em direção às pontas. Todavia, pesquisadores decidiram investigar mais profundamente as partes do corpo dessas criaturas e se depararam com uma descoberta surpreendente: na verdade, o que até então achava-se que eram braços podem ser extensões do cabeça.

Cientistas de universidades e instituições de pesquisas dos Estados Unidos usaram exames genéticos e moleculares para mapear as diferentes regiões do corpo das estrelas-do-mar, criando um atlas em 3D de sua estrutura.

Após a análise, eles chegaram à conclusão de que a “cabeça” de uma estrela-do-mar não está em apenas um lugar. Em vez disso, as regiões semelhantes a cabeças são distribuídas por toda ela, algumas em sua área central, mas também no centro de cada do seu corpo.

“A resposta é muito mais complicada do que esperávamos”, dizem Laurent Formery, pós-doutorado da Escola de Humanidades e Ciências da Universidade de Stanford, e Daniel Rokhsar, da Universidade da Califórnia, Berkeley. “É simplesmente estranho e muito provavelmente a evolução desse grupo [de animais] foi ainda mais complicada do que isso.”

No artigo científico que relata a descoberta divulgado na revista Science, a suspeita dos pesquisadores é que durante o processo evolutivo dessas criaturas elas perderam o corpo e ficaram somente com cabeças.

“É como se a estrela-do-mar estivesse completamente sem tronco e fosse melhor descrita como apenas uma cabeça rastejando ao longo do fundo do mar”, acrescenta Formery. “Não é nada daquilo que os cientistas presumiam sobre estes animais.”

Ainda segundo ele, alguns fósseis de possíveis ancestrais das estrelas-do-mar apresentavam troncos. “Nosso achado abre uma série de novas questões que podemos agora começar a explorar”.

'Braços' da estrela-do-mar não são membros, mas extensões da cabeça

Tomografia computadorizada feita nas estrelas-do-mar revelou uma verdadeira
“colcha de retalhos” de genes por todo seu corpo
(Imagem: Laurent Formery)

Existem quase 2 mil espécies de estrelas-do-mar existentes no mundo. Carnívoras, podem medir entre 11 cm a quase 25 cm. Apesar das que apresentam cinco “braços” – ou melhor dizermos a partir de agora “cinco cabeças” – serem as mais conhecidas, existem aquelas com um número muito maior de extensões no corpo, como 10, 20 e até 40.

Assim como seus parentes dos ouriços-do-mar e pepinos-do-mar, as estrelas-do-mar são equinodermes e têm a pele ossuda e calcificada, que as ajuda a se proteger de predadores. Além disso, suas cores também são usadas como camuflagem para se esconder e enganá-los.

Uma das características mais conhecidas desses seres é a habilidade de regenerar partes de seu corpo. Mesmo aqueles que sofrem com extensas mutilações conseguem conseguem voltar à forma original.

*Com informações e entrevistas contidas nos textos dos sites do Chan Zuckerberg Biohub San Francisco e da Stanford School of Humanities and Sciences

Leia também:
Após mortandade em massa, estrela-do-mar tem evolução surpreendente em luta pela sobrevivência

Foto de abertura: Espen Rekdal / Espen Rekdal Photography, CC BY 4.0 via Wikimedia Commons

Comentários
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Notícias Relacionadas
Sobre o autor
PUBLICIDADE
Receba notícias por e-mail

Digite seu endereço eletrônico abaixo para receber notificações das novas publicações do Conexão Planeta.

  • PUBLICIDADE

    Mais lidas

    PUBLICIDADE