Biden coloca EUA de volta no Acordo do Clima e na Organização Mundial de Saúde e revoga permissão para polêmico oleoduto

Poucas horas depois da cerimônia de posse, o novo presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, já começou a trabalhar e cumprir suas promessas de campanha. Assinou diversos atos executivos, entre eles, o compromisso que fez em setembro de colocar o país de volta no Acordo de Paris. Seu antecessor, Donald Trump, havia retirado os americanos do tratado, assinado por quase 200 países, em 2015, para reduzir as emissões de carbono e dessa maneira, tentar frear o aumento da temperatura na Terra (leia mais aqui).

Nos últimos meses, Biden afirmou que tem como meta zerar as emissões de CO2 dos Estados Unidos até 2050. Com certeza é algo pra lá de ambicioso, já que os americanos estão no 2o lugar no ranking dos maiores emissores do planeta.

Ainda na área ambiental, Biden também revogou a permissão para o polêmico oleoduto Keystone XL, apoiado pelo Canadá. Esse projeto foi barrado por Barack Obama devido ao impacto ambiental que poderia provocar, mas aprovado por Trump, em 2017.

“Os Estados Unidos viraram a página do negacionismo e do populismo. Os novos rumos da política americana são um sopro de esperança e precisam se transformar em ações o quanto antes. Já os governos negacionistas, como o de Jair Bolsonaro, ficarão cada vez mais pressionados e devem ser responsabilizados pelo desastre que provocam à humanidade”, diz Marcio Astrini, secretário-executivo do Observatório do Clima.

Biden assinou também a volta dos Estados Unidos à Organização Mundial de Saúde (OMS), assim como determinou que o uso de máscaras de proteção contra a COVID-19, que já matou mais de 400 mil americanos, seja obrigatório em todos os órgãos e prédios do governo federal.

No setor de imigração, o novo presidente derrubou os decretos que proibiam a entrada de cidadãos de diversos países muçulmanos e acabou com o financiamento para a construção de um muro na divisa com o México.

Leia também:
“Não há tempo a perder. Estamos no meio de uma crise”, diz Joe Biden, sobre mudanças climáticas

Estados Unidos sediará evento global pelo clima no início de 2021, anuncia presidente eleito, Joe Biden
Quais são os compromissos do recém-eleito presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, para o combate à crise climática
Joe Biden, candidato à presidência dos Estados Unidos, anuncia plano de U$ 2 trilhões contra a crise climática

Foto: reprodução Facebook Joe Biden

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta