Biden apresenta plano de U$1,8 trilhão para garantir mais anos de estudo gratuito para crianças e jovens americanos

Biden apresenta plano de U$1,8 trilhão para garantir mais anos de estudo gratuito para crianças e jovens americanos

O novo presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, fez seu primeiro discurso ao Congresso ontem. Durante o evento, que marca os três primeiros de seu governo, ele delineou seus planos e principais metas para os quatro próximos anos de mandato. Diante de uma plateia reduzida, por causa das restrições impostas pela pandemia da Covid-19 – geralmente são 1.600 espectadores, mas na noite passada foram permitidos apenas 200 -, ele teve duas representantes femininas do alto escalão a seu lado, algo inédito na história americana: estavam logo atrás dele a vice-presidente Kamala Harris e a presidente da Câmara dos Representantes, Nancy Pelosi.

Biden apresentou um plano audacioso de U$ 1,8 trilhão, dinheiro este que deve ser investido nas áreas de saúde, educação, ciência, impostos e imigração.

O presidente começou seu discurso falando sobre o grande avanço alcançado nestes últimos meses no combate ao coronavírus. Os números de casos, hospitalizações e mortes caíram consideravelmente no país graças à vacinação em massa dos americanos. Mais de 50% da população já recebeu pelo menos a primeira dose da vacina contra a Covid-19.

Em seguida, Biden começou a falar sobre o principal ponto do plano do novo governo: educação. O objetivo é oferecer mais anos para a formação de crianças e jovens americanos. O país tem um robusto sistema público gratuito. Excelente em alguns lugares, infelizmente, nem tão bom em outros. Mas que garante para todos doze anos de escola. Todavia, o antes e o depois são extremamente caros. Creches e faculdades têm um custo altíssimo nos Estados Unidos e muitas famílias simplesmente não possuem condições de bancar esses valores.

Com isso, mães ou pais deixam de trabalhar para poder cuidar de seus filhos menores de cinco anos, já que são obrigados a ficar com eles em casa, e jovens que se formam no Ensino Médio não conseguem pagar a faculdade e precisam entrar no mercado de trabalho já em desvantagem, com poucas qualificações.

“Escolas públicas universais e auxílio universitário abriram as portas para as oportunidades. Avanços científicos nos levaram à lua – agora estamos em Marte -, nos deram vacinas, a Internet e muito mais. Esses são os investimentos que fizemos juntos como um país e investimentos que só o governo estava em condições de fazer. Vez após vez, eles nos impulsionam para o futuro”, disse Biden.

Todavia, o que foi feito no passado já não é mais suficiente, acredita o presidente. “Quando esta nação estabeleceu doze anos de educação pública universal no século passado, ela nos tornou a nação mais bem preparada e educada do mundo… Mas o mundo mudou… É por isso que meu “Plano para as Famílias Americanas” garante quatro anos adicionais de educação pública para todas as pessoas na América, começando o mais cedo possível”.

Estudos já demonstraram que adicionar dois anos de pré-escola universal de alta qualidade para cada criança de três e quatro anos a coloca em uma posição melhor para completar seus estudos nos anos seguintes e aumenta exponencialmente sua perspectiva de se formar e ir além da formatura.

Biden pretende investir ainda em faculdades destinadas a populações mais vulneráveis, como aquelas com maioria de estudantes negros ou nativos americanos (indígenas), por exemplo.

E como custear o “Plano para as Famílias Americanas”? Esta é a parte mais difícil e delicada. A solução é mexer no bolso dos mais ricos, ou melhor, milionários do país. Biden pretende que parte desses investimentos venha daqueles que fazem fortunas e muitas vezes, nem pagam impostos. Ele mencionou que durante a pandemia, milhões de americanos perderam seus empregos, mas enquanto isso, detentores de grandes fortunas conseguiram aumentar ainda mais seus lucros.

“Não vou impor nenhum aumento de impostos às pessoas que ganham menos de U$ 400 mil. Mas é hora de a América corporativa e o 1% mais rico dos americanos começarem a pagar sua parte justa. Apenas seu quinhão”, ressaltou.

“Vamos nos livrar das brechas que permitem aos americanos que ganham mais de um milhão de dólares por ano e pagam uma taxa de imposto mais baixa sobre seus ganhos de capital do que os americanos que recebem um salário. Iremos afetar apenas três décimos de 1% de todos os americanos com essa ação. Três décimos de 1%! E a Receita Federal vai rastrear milionários e bilionários que trapaceiam em seus impostos”, alertou.

Agora é esperar pra ver se o novo presidente conseguirá colocar em prática seu plano. Certamente irá beneficiar milhões de famílias americanas que lutam para dar um futuro melhor a seus filhos.

Recentemente Joe Biden já tinha anunciado também outro plano trilionário para financiar melhorias na infraestrutura do país e apoio à economia verde, sobretudo, em setores ligados às energias renováveis. O novo governo acredita que isso dará um impulso importante para a criação de mais empregos.

Agora as propostas de Biden precisam ser aprovadas no Congresso e podem enfrentar resistência dos representantes do partido republicano, que faz oposição ao atual governo, democrata.

Biden apresenta plano de U$1,8 trilhão para garantir mais anos de estudo gratuito para crianças e jovens americanos

Momento histórico para os Estados Unidos: o presidente sendo aplaudido
de perto por Kamala Harris e Nancy Pelosi

*Com informações da Assessoria de Imprensa da Casa Branca

Leia também:
Biden anuncia meta de reduzir em 50% emissões dos Estados Unidos até 2030

“Temos que fazer e iremos fazer”, diz Biden sobre seu ambicioso plano para combater a crise climática
“Não há tempo a perder. Estamos no meio de uma crise”, diz Joe Biden, sobre mudanças climáticas
Quais são os compromissos do recém-eleito presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, para o combate à crise climática

Fotos: reprodução Facebook Joe Biden

Um comentário em “Biden apresenta plano de U$1,8 trilhão para garantir mais anos de estudo gratuito para crianças e jovens americanos

  • 29 de abril de 2021 em 6:26 PM
    Permalink

    Tudo indica que Joe Biden está perfeitamente coerente com suas promessas de campanha, focado na saúde, na educação e no bem estar físico e emocional do seu povo, além de estar buscando pontos de convergência pacífica com outros países do mundo, estendendo coração e mãos para eles, ciente de que todos somos um. Tudo indica que Biden não se permite sair dos projetos que, sabiamente, idealizou fiel a si mesmo, sem amarras com ninguém, a não ser com o Deus que o protege, motiva e guia para, em nome Dele, mostrar tudo o que é possivel fazer e muito mais, com Ele.

    Resposta

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.