Bibi Mob: cooperativa de motoristas de Araraquara lança aplicativo para garantir remuneração mais justa

Bibi Mob: cooperativa de motoristas de Araraquara lança aplicativo para garantir remuneração mais justa

Aplicativos de transporte facilitaram muito a mobilidade, especialmente nas áreas mais urbanas. Mas trouxeram consigo condições pouco favoráveis aos motoristas, que muitas vezes têm que repassar um percentual que pesa muito no dia a dia, ainda mais com a alta dos combustíveis.

Um grupo de motoristas de Araraquara, interior do estado de São Paulo, buscou uma solução para isso e implementou, com apoio da Prefeitura, o Bibi Mob, aplicativo de transporte privado urbano que oferece um serviço parecido com o dos aplicativos disponíveis no mercado.

O Bibi Mob foi o aplicativo escolhido pela Coomappa (Cooperativa de Transporte de Araraquara) por garantir o repasse de 93% a 95% do valor das corridas aos motoristas. Segundo a presidente da Cooperativa, Kátia Anello, que também é motorista, o percentual retido é usado na manutenção da plataforma e em melhorias.

Lançado em 3/2, o aplicativo já conta com cerca de 11 mil passageiros cadastrados e reúne mais de 400 condutores, e pode ser baixado nas versões para Android e iOS.  

Incentivo ao cooperativismo

A Coomappa surgiu a partir de reuniões entre motoristas de aplicativos da cidade, que buscavam alternativas para os problemas gerados pela atuação em grandes plataformas de mobilidade privada.

Entre as demandas estavam a implementação de pontos de desembarque de passageiros em ruas movimentadas, locais para alimentação e uso de sanitários e a criação de um aplicativo que gerasse retorno maior aos condutores e economia para os passageiros.

A cooperativa foi a estratégia encontrada por eles para viabilizar as soluções. Criada no início de 2021, inicialmente com quase 30 associados, a Coomappa buscou o Programa Coopera Araraquara, da Prefeitura da cidade, para avançar com a pauta.

“Certamente a política pública de economia solidária da Prefeitura de Araraquara teve uma influência, porque cria no município essa cultura do cooperativismo e uma atmosfera propícia para o desenvolvimento de cooperativas de trabalho. Mas essa influência foi indireta”, conta Camila Capacle, coordenadora executiva de Trabalho e Economia Criativa e Solidária da Prefeitura Municipal de Araraquara.

“A Coomappa procurou a Prefeitura quando já estava formalizada como cooperativa e teve conhecimento do Programa Coopera Araraquara. Desde então, temos apoiado a cooperativa por meio da Incubadora Pública de Economia Criativa e Solidária (IPECS)”.

Outro ponto destacado por ela é que o cooperativismo é a grande tecnologia social da iniciativa de implementação do Bibi Mob Coomappa, e pode servir de modelo para outras categorias profissionais:

“Com certeza é um grande exemplo de como os trabalhadores podem se organizar e melhorar suas condições de trabalho. Acreditamos no cooperativismo como uma possibilidade de geração de trabalho e renda, de organização social dos trabalhadores e de justiça social”

A escolha do aplicativo veio no fim de 2021, quando, a partir de cotações de várias plataformas, chegou-se ao Bibi Mob, que pareceu mais adequado ao modelo de negócio da cooperativa, sem fins lucrativos.

No site do aplicativo, destaca-se a modalidade escolhida pela Coomappa – Projeto APP da Cidade, que tem como objetivo oferecer melhores condições de ganhos para condutores de aplicativos nos municípios.

Enquanto empresas líderes nesse mercado podem ficar com 40% dos valores das corridas, ou até mais, segundo relato de motoristas, o Bibi Mob declara garantir o repasse de até 95%. O projeto também sugere a criação de cooperativas nas cidades onde é implementado.

Economia solidária em Araraquara

Além do Programa Coopera Araraquara – criado como alternativa ao desemprego causado pela pandemia da covid 19 -, o município conta com o Programa Cooperativismo como Porta para o Futuro e com leis de incentivo ao empreendedorismo solidário. Apoia sete cooperativas por meio do IPECS e três associações de trabalhadoras.

Araraquara oferece ainda o Portal RECriaSOL (Rede de Economia Criativa e Solidária) – rede de negócios online nas áreas de economia criativa, solidária, agricultura familiar e agroecológica, que permite divulgação e comercialização de produtos e serviços – e feiras dedicadas.  

Para conhecer melhor a estratégia de economia solidária da Prefeitura de Araraquara, confira artigo assinado pelo prefeito Edinho Silva (PT) e por Camila Capacle, publicado pelo Ipea.

Edição: Mônica Nunes

Foto: Divulgação

Com informações da Prefeitura de Araraquara

Mônica Ribeiro

Jornalista e mestre em Antropologia. Atua nas áreas de meio ambiente, investimento social privado, governos locais, políticas públicas, economia solidária e negócios de impacto, linkando projetos e pessoas na comunicação para potencializar modos mais sustentáveis e diversos de estar no mundo.