Belo Horizonte inaugura o primeiro Instituto Médico Legal Veterinário do país, que ajudará no combate a crimes de maus-tratos contra animais

Belo Horizonte inaugura o primeiro Instituto Médico Legal Veterinário do país, que ajudará no combate a crimes de maus-tratos contra animais

A capital mineira passa a contar agora com um importante aliado no combate aos crimes de maus-tratos contra animais: o primeiro Instituto Médico Legal Veterinário do Brasil. Instalado dentro do Hospital Público Veterinário de Belo Horizonte, o local não é aberto diretamente ao público, mas apenas recebe animais vítimas de violência encaminhados pelos órgãos competentes para que ali sejam realizados exames de corpo de delito, além de documentação, com fotografias e filmagens, para ajudar com investigações e assim, punir os criminosos.

A abertura do IML Veterinário é resultado do trabalho conjunto da prefeitura de Belo Horizonte, da Secretaria de Meio Ambiente e da Associação Nacional de Clínicos Veterinários de Pequenos Animais de Minas Gerais (Anclivepa-MG), com apoio da ONG Patas para Você.

Além da avaliação dos animais, a equipe veterinária também fará o trabalho de necropsia, quando necessário, para a constatação de maus-tratos como causa da morte. “Hoje podemos dizer que Belo Horizonte e Minas Gerais são referência no Brasil quando fazemos menção à saúde e a dignidade dos animais”, afirma Aldair Junio Woyames Pinto, presidente da Anclivepa.

Em 2020, um projeto aprovado no Senado Federal estabeleceu pena de até 5 anos para maus-tratos contra cães e gatos. De acordo com o texto da  Lei 14.064/20, que ficou conhecida como a “Lei Sansão” – em homenagem a um pit bull que teve duas patas decepadas em Minas Gerais -, a prática de abuso, maus-tratos, ferimento ou mutilação a esses animais deve ser punida com reclusão, de dois a cinco anos, além de multa e proibição de guarda.

“É uma iniciativa muito boa. É a roda girando. O poder público se adaptando à crescente preocupação com a questão animal. Com o agravamento de penas, por exemplo, como aconteceu com a Lei Sansão, ainda que restrita injustamente a apenas cães e gatos, acentua-se a necessidade de comprovar os crimes e situações de maus-tratos”, avalia Maurício Varallo, diretor da ONG Olhar Animal.

Qualquer pessoa que presencie algum animal sendo vítima de violência deve entrar em contato com a Polícia Civil para fazer uma denúncia. 

Leia também:
Cortar orelha e rabo de animais por estética não é nada bonito: é crime!
Tubarão é capturado, torturado e morto em praia do litoral do Ceará: criminosos foram identificados e autuados pelo Ibama
Projeto de lei defende que exploração animal torne-se “Patrimônio Cultural Imaterial” do Brasil. Vote contra mais este absurdo!
Mais de mil pássaros criados ilegalmente são apreendidos em Goiás e Minas Gerais. Dezenas já estavam mortos
Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro reconhece direito de alunos que se recusam a usar animais em estudos e pesquisas

Foto: U.S. Department of Defense (Source)/rawpixel

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta