PUBLICIDADE

Belíssima espécie de sapo – tóxico! – é descoberta no Equador e batizada em homenagem a comediante defensor da natureza

Belíssima espécie de sapo - tóxico! - é descoberta no Equador e batizada em homenagem a comediante defensor da natureza

As florestas do Equador abrigam mais de 600 espécies de sapos catalogadas e, a cada ano, muitas são descobertas e descritas pela Ciência, como uma espécie descrita no início deste ano, que se parece com chocolate. E também como a que foi identificada por pesquisadores da Fundación EcoMinga, parceira da organização Rainforest Trust, que atuam na Cordilheira de Los Llanganates, nos Andes orientais do Equador, e têm, como missão, catalogar e proteger espécies da região.

Em sua última expedição, realizada em setembro, eles encontraram quatro sapos raros – todos a poucos metros do cume do Cerro Mayordomo, montanha próxima da bacia amazônica

Belíssima espécie de sapo - tóxico! - é descoberta no Equador e batizada em homenagem a comediante defensor da natureza
Foto: Rainforest Trust/divulgação

A área de estudo é protegida pela Reserva Machay da EcoMinga, que a descreve como “íngreme e relativamente inacessível”, por isso, ainda não foi amplamente estudada. Como não há dados suficientes sobre as novas espécies, não é possível atribuir-lhes um status de conservação.

“Esta é uma espécie muito rara encontrada apenas em altas altitudes em uma parte remota da Reserva Machay”, declarou Lou Jost, presidente da EcoMinga, em post em seu blog a respeito do novo sapo. “Levamos quatro anos para encontrar indivíduos suficientes para fazer uma descrição completa” (é dele a foto que abre este post).

Grande (e desconhecido) conservacionista

Belíssima espécie de sapo - tóxico! - é descoberta no Equador e batizada em homenagem a comediante defensor da natureza

O primeiro ‘sapo de bolinhas’ avistado pelos pesquisadores – uma fêmea! – foi rapidamente identificado como novo para a ciência e batizado de Hyloscirtus sethmacfarlanei, em homenagem a Seth MacFarlane, criador da série de comédia de animação Family Guy (no Brasil, foi exibida pela Fox), que, por ser apoiador ‘de longa data’ da Rainforest Trust, é um importante defensor da natureza.

“Parecia perfeito nomear esse sapo, com suas bolinhas brincalhonas justapostas com seu status mais provavelmente ameaçado, homenageando Seth, que é conhecido mais por sua comédia do que por sua dedicação à ciência e à conservação”, destacou James Deutsch, CEO da organização ambiental, em comunicado à imprensa. 

A nova espécie foi descrita pelos cientistas na revista PeerJ.

Alerta de toxicidade

Entre os quatro indivíduos encontrados, havia apenas uma . E, mesmo assim, os cientistas acreditam que as fêmeas dessa espécie devem ser pretas com manchas vermelhas brilhantes – como a que foi avistada por Darwin Recalde, técnico de campo local -, pois nenhuma fêmea de espécies intimamente relacionadas varia de cor.

Belíssima espécie de sapo - tóxico! - é descoberta no Equador e batizada em homenagem a comediante defensor da natureza
Foto: Rainforest Trust/divulgação

Além disso, devido a relatos de queimação e formigamento na pele, feitos por alguns dos pesquisadores logo após a coleta do primeiro espécime, eles acreditam que os padrões vibrantes apresentados por todos os indivíduos são sinais de alerta de sua toxicidade.

“As cores vermelhas e pretas brilhantes são como as cores de uma borboleta monarca, alertando os predadores de que essa seria uma escolha muito ruim para uma refeição”, destaca o estudo.

Depois de coletar o primeiro sapo – quer dizer, uma rã adulta!-, Jost, da Ecominga, escreveu as sensações de Darwin e Fausto (Tito) Recalde ao tocarem os animais: “… suas mãos e dedos começaram a coçar e a formigar, e a dor continuou mesmo várias horas depois que eles colocaram o sapo no chão; os juvenis são amarelos brilhantes com manchas pretas (veja no vídeo no final deste post) ‘e, também, exalam uma substância desagradável de sua pele”.

Foto: Rainforest Trust/divulgação

O estudo ainda indica que há sapos juvenis maiores, que apresentam marcas irregulares de cor laranja ou amarela sobre fundo preto, com coxins em laranja claro ou amarelo” (como o que está na abertura deste post).

Sem proteção legal

Reserva Machay, em Cerro Mayordomo, integra corredor ecológico criado a partir de uma parceria entre governos locais e comunidades rurais: uma área de 42.052 hectares (cerca de 420 km2) entre os parques nacionais Llanganates e Sangay.

No entanto, como o corredor não é uma área protegida, oficialmente, não há muito o que celebrar já que ele não tem proteção legal. Há muito ambientalistas lutam para que o local conquiste esse status. E os autores do artigo científico arrematam:

“Nosso estudo confirma, ainda mais, a importância da criação do Corredor Ecológico Llanganates-Sangay, fora do sistema de parques nacionais do Equador, como um centro de endemismo e biodiversidade”.

Fontes: Fundación EcoMinga, Mongabay e revista PeerJ

Foto (destaque): Fundación Minga

Comentários
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Notícias Relacionadas
Sobre o autor
PUBLICIDADE
Receba notícias por e-mail

Digite seu endereço eletrônico abaixo para receber notificações das novas publicações do Conexão Planeta.

  • PUBLICIDADE

    Mais lidas

    PUBLICIDADE