Baleia cachalote-pigmeu encalha em Santa Catarina e é resgatada para tratamento

Baleia cachalote-pigmeu encalha em Santa Catarina e é resgatada para tratamento

*Atualizado em 21/10/20

Infelizmente, a baleia faleceu nesta quarta-feira.

Segue texto original da reportagem.

————————————————————————————————-

Uma baleia cachalote-pigmeu (Kogia breviceps) foi encontrada encalhada na segunda (19/10) na praia da Ribanceira, em Imbituba, litoral de Santa Catarina. Pescadores e moradores locais desencalharam o animal duas vezes, mas ele voltou para a areia.

Várias equipes de organizações de proteção ambiental foram ao local para ajudar no resgate, mas pelas condições da baleia, foi decidida a transferência da cachalote-pigmeu para o Centro de Pesquisa, Reabilitação e Despetrolização de Animais Marinhos (CePRAM) da Associação R3 Animal*, em Florianópolis.

O animal é uma fêmea, com 3 metros de comprimento e 370 quilos. No final da tarde de ontem, uma equipe de biólogos, veterinários e oceanólogos coordenou o transporte da baleia em um trailer adaptado para animais marinhos.

Baleia cachalote-pigmeu encalha em Santa Catarina e é resgatada para tratamento

Momento do transporte com a equipe especializada

Já no centro de reabilitação, a cachalote-pigmeu foi colocada em uma piscina específica para cetáceos, onde está sendo hidratada, sob constante monitoramento dos especialistas. Quando encontrada, a baleia apresentava diversas marcas de ferimentos.

“Só o fato do encalhe e todo o tempo que ela passou fora da água provoca bastante desidratação. A partir do resultado dos exames microbiológicos e de sangue coletados vamos poder avaliar melhor seu quadro de saúde”, explica Marzia Antonelli, médica veterinária da R3 Animal.

A especialista explica que a cachalote-pigmeu vive em águas profundas em todos os mares temperados, tropicais e subtropicais, por isso dificilmente é observada próximo a praias.

Para tentar escapar de predadores, a espécie – assim como a lula -, solta um líquido avermelhado e viscoso a partir do intestino. Ela pode chegar a liberar até 12 litros desse líquido.

Baleia cachalote-pigmeu encalha em Santa Catarina e é resgatada para tratamento

A baleia pesa mais de 350 quilos

Baleia cachalote-pigmeu encalha em Santa Catarina e é resgatada para tratamento

O animal está sendo monitorado 24 hrs por dia em uma piscina para cetáceos

Tanto a cachalote-pigmeu como a cachalote-anã, que são bem parecidas, só foram reconhecidas como espécies na década de 60.

Muito pouco se sabe sobre essas espécies, já que são raramente avistadas. Também não há estimativas exatas sobre o número de suas populações.

Baleia cachalote-pigmeu encalha em Santa Catarina e é resgatada para tratamento

Filhote de cachalote-pigmeu durante reabilitação na Flórida

———————————————————————————————————-

Caso encontre um mamífero, ave ou tartaruga marinha debilitada ou morta na praia, ligue 0800 642 3341, das 7h às 17h. Sua ajuda é fundamental para salvar vidas!

————————————————————————————————————

*O trabalho de reabilitação de animais marinhos que a R3 Animal realiza em Florianópolis faz parte do Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS), uma condicionante do licenciamento ambiental para a exploração do pré-Sal conduzido pelo Ibama. O PMP-BS vai de Laguna SC até Saquarema RJ e é executado por 15 instituições diferentes.

Leia também:
Filhotes de golfinho aparecem mortos em praias de Florianópolis, suspeita é que foram sufocados por redes de pesca

Equipes de resgate conseguem salvar 110 baleias encalhadas na Austrália, mas quase 400 morreram
Grupo de 40 baleias cachalote é flagrado em registro raríssimo no litoral de São Paulo
Baleia cachalote encontrada morta na Indonésia tinha sacolas, sandálias e mais de 100 copos plásticos no estômago

Fotos: divulgação R3 Animal/Nilson Coelho e divulgação SeaWorld of Florida (última)

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta