Aves da Mata Atlântica do Sudeste ganham belíssimo livro, organizado pela Wildlife Conservation Society

Post 09 - Blog Avoando (autor: Sandro Von Matter)
Passei grande parte da minha infância caminhando pelas matas próximas ao Rio Paranapanema, desde cedo já era fascinado pela diversidade de espécies da Mata Atlântica e, como toda criança, extremamente curioso. A cada nova ave observada meu interesse só aumentava.

Aquele era um mundo sem internet. Para um menino como eu, de família simples do interior de São Paulo, encontrar informações sobre espécies de aves brasileiras era quase tão difícil quanto construir uma espaçonave com peças de ferro velho.

Mas eu sempre tive sorte e é engraçado como eventos aleatórios podem alterar os rumos da vida de uma pessoa. Nesta época, o padre que praticamente havia “adotado” meu pai, e que residia no centro de São Paulo, ficou doente e minha família viajou para a capital.

Neste dia, ao caminhar pela Rua São Bento, no centro de São Paulo, vi algo que mudaria a minha vida: exposto em uma vitrine de uma grande livraria estava a obra Pássaros do Brasil. Você pode imaginar um menino de oito anos, agarrado ao balcão de uma livraria gritando que não sairia dali sem aquele livro? Foi exatamente o que aconteceu e valeu o esforço: ganhei meu primeiro livro sobre aves brasileiras.

Eurico Santos - Pássaros do Brasil

Lançado em 1940, a obra de autoria de Eurico dos Santos – até hoje, um dos meus livros preferidos – não mudou apenas a minha vida, mas influenciou gerações de cientistas e pesquisadores de renome que leram o livro na infância ou na adolescência e, hoje, se dedicam à pesquisa e conservação das aves brasileiras.

É possível que eles nunca tivessem se apaixonado pelo tema sem os livros deste agrônomo carioca nascido em 1883. Ele publicou nada menos que 50 livros sobre animais e plantas do Brasil e, como Carl Sagan, tinha plena consciência de seu papel como divulgador da ciência. Sua admiração pelas aves está expressa no prefácio da obra Da Ema ao Beija-Flor, de 1979: “Pudesse eu contagiar aos meus leitores com a admiração pelas aves, e respeito pelas suas vidas, tão sagradas quanto as nossas, e teria conseguido o principal desejo que me guiou ao escrever este livro”.

Ainda hoje, em 2015 – numa realidade muito diferente, portanto, com amplo acesso a informação graças ao avanço da internet -, ainda são poucos os autores que se dedicam à disseminação de informações sobre as nossas aves por meio de livros impressos. São tão poucos que você pode contá-los nos dedos de uma mão.

Pois, para felicidade de ornitólogos e amantes das aves, no dia 23/11, segunda-feira passada, este número aumentou e um novo capítulo na história da literatura sobre os seres alados do país foi escrito com o lançamento do livro Aves do Brasil – Mata Atlântica do Sudeste, organizado pela WCS – Wildlife Conservation Society (Sociedade para a Conservação da Vida Selvagem). A obra é o segundo livro do projeto Aves do Brasil; o primeiro foi lançado em 2010 e é dedicado aos biomas do Cerrado e Pantanal.

Estive presente ao lançamento em São Paulo e conversei com minha colega e grande amiga Martha Argel (comigo, na foto abaixo), coordenadora do projeto na WCS Brasil. Conheci Martha em 2000, no VIII Congresso Brasileiro de Ornitologia, em Florianópolis e, ao longo de mais de uma década, nos tornamos amigos e parceiros em uma série de projetos. Posso afirmar que a Ornitologia Brasileira não seria a mesma sem o bom humor, a inteligência e a competência desta paulistana.

Lançamento Livro Aves do Brasil

Ela é pesquisadora da área de ecologia de aves e presença obrigatória nas mais importantes Bienais e Feiras de Livros ao redor do mundo, sendo uma das mais revolucionárias escritoras de literatura fantástica do país. Entre suas obras literárias estão: O livro dos contos enfeitiçados (2006), Olhos de gato (2005), O vampiro de cada um (2003), Relações de sangue (2002) e Contos improváveis (2000).

A nova publicação, dedicada as aves da Mata Atlântica (clique aqui para baixar uma amostra em pdf), apresenta 927 espécies, ou seja, praticamente todas as que são conhecidas no Sudeste do país. Com linguagem simples e inteiramente ilustrado, o livro é mais que um guia de identificação de aves! Oferece informações completas sobre a biologia de cada espécie e sobre os biomas, além de dicas sobre como observá-las acompanhadas por mapas precisos de distribuição, épocas e altitudes das ocorrências (encontros e identificação de aves), características físicas, dicas para diferenciação de espécies semelhantes, bem como os diferentes ambientes da Mata Atlântica e os desafios para a sua conservação. Na publicação, são apresentadas espécies do Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais e Bahia.

As mais de 1300 ilustrações foram feitas por alguns dos mais renomados artistas especializados em aves como Guy Tudor (o maior ilustrador de aves sul-americanas e, um dos autores do novo livro, ao lado de Martha), além de Robert S. Ridgely e John Gwynne.

Publicado pela Editora Novo Horizonte, dirigida pelo genial Peter Milko, a obra tem formato compacto, foi publicada em inglês ou português e pode ser adquirida nas principais livrarias do Brasil ou na loja virtual da editora, por apenas R$ 69. Esse valor, mais acessível que o de livros semelhantes no mercado, só foi possível graças ao patrocínio de empresas e de doações feitas por instituições e pessoas físicas à WCS, nos Estados Unidos.

Já explorei as mais de 400 páginas do livro e recomendo sua leitura para adultos e crianças interessados na vida das aves. E tenho certeza de que é um presente muito especial para as crianças, seus pais, amigos, namorada(o). Uma inspiração para que sigam o caminho da conservação da natureza.

Para incentivá-lo a conhecer e disseminar o livro, vou presentear os autores dos três melhores comentários, neste post, com pôsteres que apresentam 27 das mais belas espécies da Mata Atlântica. Para participar conte como você se apaixonou pelo mundo das aves. As melhores histórias ganham este belo presente de Natal.

Foto (Sandro e Martha): Giulia Moon; Foto Eurico Santos: Atualidades Ornitológicas.

Sandro Von Matter

Pesquisador em ecologia e conservação, se dedica a investigar questões sobre o topo das florestas tropicais e as fascinantes interações entre animais e plantas. Hoje, à frente do Instituto Passarinhar, é um dos pioneiros em ciência cidadã no Brasil, e desenvolve projetos em conservação da biodiversidade e restauração ecológica, criando soluções para tornar os centros urbanos mais verdes.

8 comentários em “Aves da Mata Atlântica do Sudeste ganham belíssimo livro, organizado pela Wildlife Conservation Society

  • Pingback:Aves do Sudeste da Mata Atlântica ganham belíssimo livro, organizado pela Wildlife Conservation Society | Além da Mídia

  • 14 de dezembro de 2015 em 4:50 PM
    Permalink

    Desde criança cuidando, alimentando, admirando e sendo babá dos filhotinhos que achava caídos pelo chão. Faz pouco tempo que comecei um álbum contando sobre meus “filhos” que hoje me deram “netos” e sou feliz por ver que, além de amar, eu ajudei muitos a terem suas famílias e pouco a pouco a repovoar as aves nativas da mata atlântica onde vivo. Mesmo em “conta-gotas”, sinto que alem de admirar estou sempre os ajudando. Link: https://picasaweb.google.com/101474902012377306830/PassarosCuidados?authkey=Gv1sRgCIWphKabruygIg

    Resposta
  • 16 de dezembro de 2015 em 3:56 PM
    Permalink

    Cresci vendo os colegas de rua prendendo pássaros em gaiolas, eu sempre via aquela cena e não concordava, hoje em dia eu pinto essas aves em camisas e brigo ferrenhamente contra essas atitudes, elas estão melhores na natureza., fiz um curso Tec. em Meio Ambiente estou cursando Biologia

    Resposta
  • 29 de dezembro de 2015 em 9:45 AM
    Permalink

    Eu gostariade saber onde esta o terceiro comentario mais votado eu so consigo ver 2, por favor?? Obrigada Soraya Pieroni.

    Resposta
    • 29 de dezembro de 2015 em 11:52 AM
      Permalink

      Olá Soraya, Bom dia,
      Apenas 2 comentários foram registrados no portal, aquele que aparece como 3º é na verdade apenas um redirecionamento do post para outro site e não esta concorrendo ao poster. Ainda é possível realizar comentários e concorrer ao poster, boa sorte.

      Resposta
  • 16 de janeiro de 2016 em 9:35 AM
    Permalink

    Comecei a me apaixonar por aves desde os 6 anos de idade quando morava no Distrito Federal numa região de muitas lavouras. O primeiro pássaro que conheci foi a Rolinha-roxa que existia em abundância naquela região, depois fui morar na Bahia onde comecei a conhecer mais aves e ganhei de meus pais um casal de Periquitos Australianos. Aquele foi meu passatempo por alguns anos.

    Com 11 anos voltei a morar no interior de São Paulo, minha terra natal onde conheci mais aves e com o tempo adquiri mais pássaros exóticos que é minha paixão. Sempre achava filhotes na época de reprodução e os levava para casa para cuidar e depois os soltavam. Comprava seringa e até papa para alimentá-los.

    Hoje tenho 23 anos moro em Curitiba-PR e sou formado em Gestão Ambiental e curso Eng. Ambiental tudo isso pelo amor aos pássaros.

    Tenho um Álbum de fotos no Wiki Aves que é minha fonte de conhecimento sobre as aves.
    http://www.wikiaves.com.br/midias.php?t=u&u=6386

    Resposta
  • Pingback:Mata Atlântica: cenário de belezas e destruição - Conexão Planeta

  • 19 de junho de 2017 em 7:29 PM
    Permalink

    Para mim fotografar pássaros é sentir as interações da natureza
    É ver a diversidade na sua forma mais bela
    E, percebendo a busca pela sobrevivência nos hábitos deles,
    Concluir que a sobrevivência deles é também a nossa .
    Eduardo Seraphim

    Resposta

Deixe uma resposta