Ativista e ator Mark Ruffalo, o “Hulk”, apoia campanha de proteção à Amazônia e seus povos indígenas

Ativista e ator Mark Ruffalo, o "Hulk", apoia campanha de proteção à Amazônia e seus povos indígenas

Como já contei aqui antes, o ator e produtor americano Mark Ruffalo, mais conhecido pelo grande público do cinema por interpretar o personagem Bruce Banner/Hulk, na série da Marvel “Avengers”, é nos bastidores um engajado ambientalista e ativista político.

Ruffalo já fez campanha contra a exploração de gás, o fracking, o uso de pesticidas e defendeu as energias renováveis, a igualdade para as mulheres, o aborto, a comunidade LGBT e nos últimos tempos, tem falado muito sobre a proteção dos nativos americanos, como são chamados os povos indígenas dos Estados Unidos.

Além disso, no ano passado, antes das eleições presidenciais americanas, quando Donald Trump tentou conquistar um segundo mandato e acabou perdendo para Joe Biden, o ator usou suas redes sociais para expressar sua opinião: “Quero viver em um país onde a crise climática é levada a sério”, disse na época.

Representantes dos povos indígenas brasileiros enviaram em março uma carta a Biden e à vice- presidente Kamala Harris. Eles pedem para sejam incluídos na elaboração do plano para proteção da Amazônia que está em discussão com o governo brasileiro.

Na carta, destaca-se que a “conservação das florestas é maior nos territórios indígenas e que possuem papel estratégico e fundamental para a preservação da Amazônia”. E esta semana, a pedido de Joe Biden, o embaixador americano no Brasil se reuniu com lideranças indígenas.

Recentemente, 199 organizações brasileiras, entre elas a Apib, também endereçaram um documento ao governo dos Estados Unidos fazendo um alerta sobre os riscos de negociações com Bolsonaro. 

Ontem noticiamos aqui no Conexão Planeta, que a Amazônia bateu um recorde de destamamento para o mês de março: a maior alta dos últimos seis anos.

Nos próximos dias 22 e 23 de abril, os Estados Unidos sediarão um encontro virtual sobre o clima. Biden convidou representantes de 40 países para participarem do “Leaders Summit on Climate”, entre eles, o Brasil (leia mais aqui).

Leia também:
Ricardo Salles critica operação na Amazônia que resultou na maior apreensão de madeira da história do Brasil
Em meio a altas históricas no desmatamento, ministério do Meio Ambiente tem o menor orçamento em 21 anos

Mais de 300 empresas conclamam Biden a dobrar meta de redução de carbono dos Estados Unidos
Quais são os compromissos do recém-eleito presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, para o combate à crise climática

Foto: reprodução Facebook Mark Rufallo

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta