Arthur Lira é criticado em projeções públicas por facilitar a destruição do meio ambiente e dos povos indígenas

Arthur Lira é criticado em projeções públicas por facilitar a destruição do meio ambiente e dos povos indígenas

Ontem à noite, 12/08, em projeções realizadas em pontos estratégicos de cinco capitais brasileiras, o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, apareceu retratado como um boneco manipulado, com a alcunha de Lirinha, o fantochinho do presidente, e mensagens que denunciavam: “Ele ignora todos os pedidos de impeachment”, “Ele está no centrão de toda a corrupção” e “Ele destrói as florestas e os povos indígenas”.

A ação foi promovida pelo Observatório do Clima (OC) – rede formada em 2002 por 66 organizações não governamentais e movimentos sociais – durante cerca de uma hora, e se deve à conduta de Lira escancaradamente pró-governo, desde que assumiu a presidência da Câmara, em fevereiro.

Além de ignorar os mais de 100 pedidos de impeachment que herdou de Rodrigo Maia (e os outros mais de 50 que recebeu) e, assim, ser conivente com Bolsonaro e ignorar os mortos da pandemia, ele tem agilizado – sem debate em comissões e sempre com urgência – a votação de projetos de lei que desmontam a política e a legislação sobre o meio ambiente, alteram a estrutura fundiária, privatizam estatais e vulnerabilizam (e atacam) os povos indígenas.

Entre esses projetos estão o PL do Licenciamento Ambiental (3.729), aprovado em junho, que dispensa a obtenção de licenciamento para atividades devastadoras e o PL da Grilagem (2.633), aprovado no começo deste mês, que protege quem rouba terras públicas.

Pressione Lira

Os maus políticos detestam ser cobrados por seus eleitores e pela população em geral, por isso, o ideal é que todas as pessoas que não estão satisfeitas os pressionem pelas redes sociais e diretamente por e-mail e em seus gabinetes.

Então, aqui estão os contatos do Arthur Lira: Instagram, Twitter, Facebook, e-mail ( dep.arthurlira@camara.leg.br) e telefone (61 3215-5942). Ele pode não ler ou atender diretamente, mas seus assessores se encarregarão de torna-lo ciente do desagravo dos eleitores e de que os brasileiros estão de olho nele.

Collor, Bolsonaro e Lira

Se quiser saber mais sobre este deputado, o Gregório Duvivier e o pessoal do programa Greg News, da HBO, dedicou um episódio inteirinho a Arthur Lira, há mais ou menos um mês.

Ele começa contando sobre Fernando Collor de Mello e passeia pela história politica dessa época que nos conduz ao Brasil de hoje, mostrando que “o Brasil é um eterno reprise de remake”. Qualquer semelhança entre as trajetórias corruptas de Collor e Bolsonaro não é mera coincidência. E Lirinha e seu pai têm tudo a ver com isso.

Reproduzo esse episódio do Greg News no final deste post. Agora, veja as demais imagens que fizeram parte das projeções:

Arthur Lira é criticado em projeções públicas por facilitar a destruição do meio ambiente e dos povos indígenas
“Lirinha, o fantochinho do presidente”, em São Paulo, ao lado da Rua da Consolação – Foto: OC
Arthur Lira é criticado em projeções públicas por facilitar a destruição do meio ambiente e dos povos indígenas
“Pau-mandado”, em Porto Alegre – Foto: OC
Arthur Lira é criticado em projeções públicas por facilitar a destruição do meio ambiente e dos povos indígenas
Ele não liga para os mortos da pandemia”, em São Paulo – Foto: OC
Arthur Lira é criticado em projeções públicas por facilitar a destruição do meio ambiente e dos povos indígenas
“No centrão da corrupção”, em Porto Alegre – Foto: OC
Arthur Lira é criticado em projeções públicas por facilitar a destruição do meio ambiente e dos povos indígenas
“Agora todos os pedidos de impeachment”, em Recife – Foto: OC
“Destrói as florestas e os povos indígenas”, em Brasília, na Biblioteca Nacional de Brasília – Foto: OC

Agora, assista ao episódio dedicado a Arthur Lira do Greg News:

Foto (destaque): Observatório do Clima/Divulgação (São Paulo)

Mônica Nunes

Jornalista com experiência em revistas e internet, escreveu sobre moda, luxo, saúde, educação financeira e sustentabilidade. Trabalhou durante 14 anos na Editora Abril. Foi editora na revista Claudia, no site feminino Paralela, e colaborou com Você S.A. e Capricho. Por oito anos, dirigiu o premiado site Planeta Sustentável, da mesma editora, considerado pela United Nations Foundation como o maior portal no tema. Integrou a Rede de Mulheres Líderes em Sustentabilidade e, em 2015, participou da conferência TEDxSãoPaulo.

Deixe uma resposta