Arroz amigo do clima é eleito uma das grandes descobertas de 2015

arroz amigo do clima é eleito uma das grandes descobertas de 2015

Junto do feijão, ele é uma paixão nacional. E não é só aqui. No mundo todo, o arroz faz parte da refeição diária de milhões de pessoas. Estima-se que metade dos 7 milhões de habitantes do planeta comam o alimento. Mas este grão tão nutritivo e saboroso, tem um defeito. Durante seu crescimento, a planta libera gás metano na atmosfera. Se você já ouviu falar que o dióxido de carbono – CO2 – é o grande vilão do aquecimento global, prepare-se: o metano tem um efeito ainda pior sobre o aquecimento da Terra. Ele é vinte vezes mais poderoso do que o gás carbônico. Estes são os gases comumente conhecidos pelo seu efeito estufa.

De acordo com cientistas, entre 7% e 17% de todo gás metano produzido pela atividade humana vem de arrozais ao redor do planeta, o que equivale a aproximadamente 100 milhões de toneladas por ano.

Para que eu e você possamos continuar comendo nosso tradicional arroz com feijão, os japoneses se deliciando com sushi e os chineses com o arroz à primavera, um grupo de pesquisadores de três países – Estados Unidos, China e Suécia – dedicou mais de uma década em experimentos e conseguiu um resultado surpreendente: desenvolver um tipo de arroz que não emite nada de metano durante seu crescimento.

Chamado de Susiba2, o arroz foi modificado geneticamente em laboratório. Recebeu um gene da cevada, que consegue mudar a maneira como a fotossíntesse é feita pela planta e desta forma, controlar a produção de gás. Em vez de enviar carbono às raízes para alimentar as bactérias que fabricam metano, a planta encaminha o gás para grão e folhas, aumentando o teor de amido e o rendimento do arroz. “É um ganho a ganho”, afirma Christer Jansson, diretor do setor de Ciências das Plantas do Departamento de Energia da Pacific Northwest National Laboratory e um dos principais autores do estudo. “O processo resulta na redução da emissão de metano, que ajuda a mitigar as mudanças climáticas e também, em mais biomassa – mais alimento. Este duplo efeito é muito positivo”, completa.

Um artigo sobre a pesquisa foi publicado em julho de 2015 pela respeitada revista Nature. E mais recentemente, o estudo foi considerado uma das mais importantes descobertas científicas de 2015 pela publicação internacional Popular Science (em breve vamos mostrar aqui no Conexão Planeta outras destas premiadas descobertas).

Agora os pesquisadores farão mais experimentos com o cultivo do Susiba2. Ainda não existe previsão de quando ele será comercializado. “Com o crescimento da população, aumentará também a produção de arroz. E com o aquecimento da Terra, os arrozais emitirão ainda mais metano. Este é um problema que precisa ser solucionado”, diz Jansson.
Foto: domínio público/pixabay

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

2 comentários em “Arroz amigo do clima é eleito uma das grandes descobertas de 2015

  • 8 de janeiro de 2016 em 4:37 PM
    Permalink

    Ótima notícia! Transgênicos são o futuro!

    Resposta

Deixe uma resposta