Após quase 40 anos, baleias-azuis reaparecem na costa da Espanha

Após quase 40 anos, baleias-azuis reaparecem na costa da Espanha

Ela é o maior animal do planeta. A baleia-azul (Balaenoptera musculus) pode ter até 30 metros de comprimento e 200 toneladas, o peso aproximado de 33 elefantes. Mas durante o século 20, assim como outras espécies de cetáceos, ela se tornou alvo da caça industrial e praticamente desapareceu de algumas regiões onde era comumente vista. Todavia, com medidas de proteção e moratória impostas por alguns governos, seus números aumentaram e ela voltou a ser observada em locais como a costa da Espanha, no Oceano Atlântico, onde a proibição da caça só aconteceu em 1986.

Em 2017, após 32 anos sem registro no país, marinheiros de um barco pesqueiro na Galícia relataram o encontro com uma baleia-azul. Algumas semanas depois, os pesquisadores do Bottlenose Dolphin Research Institute (BDRI) também se depararam com um outro indivíduo da espécie.

Nos anos seguintes, 2018 e 2019, novas baleias-azuis apareceram nas águas espanholas. Com isso, os cientistas decidiram monitorar sua presença na costa em 2020. E foram observadas nada menos do que 30 desses cetáceos no litoral galego, o que parece confirmar que eles voltaram a incluir as águas do noroeste espanhol em suas migrações, esquecendo-se de uma época em que a caça quase os levou à extinção.

Entre janeiro e outubro do ano passado, os pesquisadores do instituto percorreram uma distância de 4.500 km e conseguiram avistar 493 cetáceos, entre eles, as três dezenas de baleias-azuis. Para poder identificar os diferentes indivíduos, eles analisam os padrões da pigmentação, que se equiparam à impressão digital humana.

“A análise de imagens permitiu a identificação das baleias-azuis fotografadas durante o período de estudo, o acompanhamento do tempo de permanência na área, seus movimentos e sua comparação com exemplares identificados em anos anteriores”, explicam os pesquisadores do BDRI . Já os movimentos dos animais e a profundidade a que submergiram foram registrados por meio de sondas.

Todavia, há um temor de que o reaparecimento das baleias-azuis na Espanha também possa estar ligado com o aquecimento global. Originalmente, a espécie era encontrada no sudoeste do Chile, golfo da Califórnia e no Triângulo dos Corais, uma área marinha no oeste do Oceano Pacífico. Há suspeitas de que com a falta de alimentos, sua população esteja viajando para regiões mais ao norte do planeta. A baleia-azul se alimenta de krills e precisa comer cerca de 4 toneladas dele diariamente.

Outra possibilidade levantada pelos cientistas é que a volta dessas baleias à Galícia é provocada por sua memória ancestral, uma habilidade desenvolvida para garantir a sobrevivência.

“Nos últimos anos, descobriu-se que a migração da baleia-azul é impulsionada pela memória, não pelas condições ambientais. As experiências ficam retidas na memória coletiva e fazem com que a espécie volte”, explicou Bruno Díaz, biólogo marinho, diretor de pesquisas do instituto espanhol, em entrevista ao jornal The Guardian.

*Com informações do site Nobbot e WWF International

Foto: domínio público/pixabay

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Um comentário em “Após quase 40 anos, baleias-azuis reaparecem na costa da Espanha

  • 2 de setembro de 2021 em 7:43 PM
    Permalink

    Não reapareceriam se soubessem que humanos não melhoraram nem um pouco no quesito respeito à vida de todas as espécies, nestas quatro décadas em que foram incapazes de descobrir que elas valem de verdade quanto pesam.

    Resposta

Deixe uma resposta