Após 35 anos em cativeiro e oito vivendo sozinho, elefante é levado de zoológico no Paquistão para santuário de vida selvagem no Camboja

Após 35 anos em cativeiro e oito vivendo sozinho, elefante é levado de zoológico no Paquistão para santuário de vida selvagem no Camboja

Ontem, quando já estava escuro, finalmente Kaavan deu seus primeiros passos no que será, pelo resto de sua vida, seu novo lar. Foi um momento de extrema emoção para as dezenas de pessoas e organizações envolvidas na luta para dar melhores condições para esse elefante, que viveu durante as três últimas décadas no Islamabad Zoo, na capital do Paquistão, e desde 2012, absolutamente sozinho, sem nenhuma companhia. Desde então, ele ficou conhecido como “o elefante mais solitário do mundo”.

Já faz anos que a história do elefante ganhou a atenção mundial. Quando tinha um ano de idade, Kaavan foi presenteado pelo Sri Lanka para o governo paquistanês.

Mas em 2011, começaram a surgir denúncias contra as péssimas condições do zoológico e a maneira como os animais eram mal tratados no local. No ano seguinte, a elefanta Saheli, que vivia ao lado de Kaavan, morreu. A suspeita era de que ela teve uma infecção causada por ferimentos de correntes.

Entretanto, foi apenas em 2015, que uma nova comoção popular alertou autoridades sobre o descaso do zoológico com os bichos. Mais de 400 mil pessoas assinaram uma petição pedindo ao governo do Paquistão para que Kaavan fosse levado para um santuário de vida selvagem no Camboja.

Após 35 anos em cativeiro e oito vivendo sozinho, elefante é levado de zoológico no Paquistão para santuário de vida selvagem no Camboja

Kaavan chegou ao Paquistão quando tinha um ano de vida

Em 2016, tocada com a situação do elefante, a cantora e atriz americana Cher, co-fundadora da organização de proteção animal Free the Wild, decidiu advocar pela sua transferência. Depois de diversas tentativas, anos e anos de esforços, cartas enviadas para representantes do governo do Paquistão e inclusive, pedidos ao primeiro-ministro do país, em julho deste ano, a permissão foi dada.

Após 35 anos em cativeiro e oito vivendo sozinho, elefante é levado de zoológico no Paquistão para santuário de vida selvagem no Camboja

A campanha #FreeKaavan mobilizou entidades do mundo inteiro

Parte do dinheiro para fazer a translocação de Kaavan foi custeada pela própria Free the Wild e o restante através de uma campanha de arrecadação de fundos. Todo o processo contou ainda com a ajuda da Four Paws International, que ajudou no processo de treinamento do animal para a viagem.

E no final da noite da segunda-feira (30/11), depois de uma jornada de 23 horas de avião, Kaavan chegou ao Cambodia Wildlife Sanctuary. Lá, o novo morador viverá ao lado de outros animais, em uma área de 400 mil hectares.

O elefante Kaavan em seu novo lar

As primeiras semanas serão de quarentena, não apenas por causa das precauções sanitárias, como uma possível contaminação pela COVID-19, mas também, para que Kaavan se adapte ao novo lar. Mas logo em seguida, ele irá encontrar seus três novos amigos elefantes, DiPoh, Arun Reah e Sarai Mia.

Em sua página no Facebook, o Cambodia Wildlife Sanctuary já divulgou as primeiras atividades do elefante no local, se alimentando e depois brincando com um pneu.

Depois de muito sofrimento, Kaavan finalmente será tratado com carinho e cuidado e poderá passar seus últimos anos de vida em meio à natureza e ao lado de outros elefantes.

Hoje, pela manhã, uma foto linda e inspiradora, mostra que essa é uma história que tem tudo para ser um final feliz. Segue o texto e a imagem compartilhados pela Four Paws International”:

“Primeiro contato em 8 anos!
Esta foto não precisa de muita explicação! Agora podemos chamá-lo oficialmente de “ex-elefante mais solitário do mundo”! Ver Kaavan interagindo com outros elefantes é um grande momento para nós, mas mais importante para Kaavan. 💕 Este é seu primeiro contato com um elefante em oito anos. Toda a equipe do FOUR PAWS está extremamente emocionada e não poderíamos estar mais orgulhosos. Kaavan finalmente terá a chance de viver uma vida pacífica e apropriada para a espécie”.

Leia também:
Bambi, a futura moradora do Santuário dos Elefantes Brasil, em breve estará em seu novo lar no Mato Grosso
Fronteira entre Brasil e Argentina é aberta para a passagem de Mara, a nova moradora do Santuário dos Elefantes, na Chapada dos Guimarães
Lady: em breve, a quarta moradora do Santuário dos Elefantes, na Chapada dos Guimarães
Rana: a nova moradora do Santuário dos Elefantes, na Chapada dos Guimarães

Fotos: reprodução Facebook Free the Wild e Four Paws International

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Um comentário em “Após 35 anos em cativeiro e oito vivendo sozinho, elefante é levado de zoológico no Paquistão para santuário de vida selvagem no Camboja

  • 1 de dezembro de 2020 em 8:31 AM
    Permalink

    Se é impossível devolver trinta e cinco anos de vida para quem foi roubado deles, imprescindível tornar seus próximos trinta e cinco aniversários, o mais perto possível da felicidade e o mais longe das amargas lembranças. Anjos existem, são estes humanos que lutaram e conseguiram sua liberdade, que é a de todos nós, que “tâmu junto e misturado” com inocentes que cumprem pena na prisão, porque esconjuramos todos os algozes deles. Se puder, Kaavan, nos perdoe por termos sido tão maus com você, nos perdoe.

    Resposta

Deixe uma resposta