Anitta faz parceria com a Shein em coleção “com materiais sustentáveis e confecção responsável”

Anitta faz parceria com a Shein em coleção "com materiais sustentáveis e confecção responsável"

Anitta já deixou de ser considerada apenas como uma estrela brasileira. Ela é uma celebridade global. Com quase 65 milhões de seguidores no Instagram, em 2022 se tornou a primeira artista solo latino-americana ao chegar ao topo do ranking do Spotify. Recentemente fez um show durante o jogo final da UEFA Champions League, em Istambul.

E Anitta adora moda. Assim como também tem usado sua voz pela sustentabilidade. No Carnaval deste ano, homenageou a ‘Cabocla Jurema’ com um figurino produzido por artesãs indígenas.

Há poucos dias também anunciou que fechou uma colaboração com a marca de roupas chinesa Shein, aquela com preços super-baixos e presença avassaladora nas redes sociais (leia sobre as denúncias feitas à marca mais abaixo).

Segundo o comunicado divulgado pela empresa, a coleção evoluSHEIN x Anitta utiliza “materiais mais sustentáveis e práticas de fabricação responsáveis”.

“Estou feliz que a Shein esteja dando um passo importante na sustentabilidade e em seu impacto ambiental geral”, disse Anitta. “Todos nós queremos ter uma ótima aparência, respeitando o planeta e as pessoas”.

De acordo com a Shein, as peças da nova coleção são confeccionadas com poliéster reciclado, viscose certificada (com fibras provenientes de “madeira de fornecedores que não colocam em risco florestas antigas vitais”) e ainda, uso de resíduos têxteis, que seriam incinerados ou descartados em aterros sanitários, em alguns itens de edição limitada.

“O evoluSHEIN by Design apoia um sistema mais circular que mitiga o desperdício têxtil e reduz o consumo de novas matérias-primas”, afirma Caitrin Watson, diretora de Sustentabilidade da marca.

Denúncias de trabalho análogo à escravidão na China

O lançamento da nova coleção, a primeira da linha evoluShein em sistema colaborativo com um artista, é certamente uma tentativa da marca de deixar para trás as denúncias e polêmicas do passado. A empresa que só faz vendas online, fora algumas lojas pop-up, foi acusada de explorar trabalhadores na China.

Em 2021, a organização internacional Public Eye conseguiu se infiltrar em 17 fábricas que produzem peças para a companhia e encontrou uma situação alarmante. Funcionários chegam a trabalhar 75 horas por semana e são obrigados a costurar centenas de roupas por dia.

O Conexão Planeta entrou em contato com a assessoria de imprensa da Shein e perguntou se as peças da coleção em parceria com Anitta seriam produzidas no Brasil e vendidas no mundo todo. Até este momento, não tivemos resposta.

Também tentamos falar com a assessoria da cantora através do seu perfil no Instagram, mas não houve retorno.

Anitta faz parceria com a Shein em coleção "com materiais sustentáveis e confecção responsável"

*Com informações da Cision PR Newswire

Leia também:
Ator e ativista Mark Ruffalo endossa mensagem de Anitta para que jovens tirem título de eleitor para votar nas próximas eleições
Anitta doa dinheiro de lançamento de novo clipe para ONG “Voz das Comunidades”, do Rio de Janeiro
Caetano, Laerte, Anitta, entre outras personalidades, fazem apelo ao mundo pela biodiversidade: ‘pare pelo meio ambiente!’
Moda e trabalho escravo

Fotos: divulgação evoluShein

Deixe uma resposta

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.