Animais do zoo de Kiev são levados para Polônia, mas elefantes e único gorila da Ucrânia permanecem na capital sob bombardeios

Animais do zoo de Kiev são levados para Polônia, mas elefantes e único gorila da Ucrânia permanecem na capital sob bombardeios

Com os bombardeios das tropas russas sobre a capital da Ucrânia se intensificando cada vez mais, um pequeno grupo de pessoas segue no principal cenário dessa guerra, sem cogitar por um momento, abandonar sua principal missão agora: cuidar dos animais do zoológico de Kiev. Cerca de 50 profissionais permaneceram no local, dia e noite, para continuar alimentando e garantindo a sobrevivência dos moradores do local.

Mas não é nada fácil garantir a tranquilidade dos animais em meio a explosões e rajadas de tiros. “A guerra está causando um estresse terrível para os animais, então alguns deles foram transferidos para recintos fechados e galerias subterrâneas. Veterinários monitoram seu estado emocional e fornecem segurança, se necessário”, informou Cyril Trantin, diretor do Kyiv Zoo.

Segundo Trantin, há um estoque de alimentos e medicação suficientes para as próximas semanas.

Mas há poucos dias decidiu-se pela transferência temporária de seis leões, quatro tigres, um cão selvagem africano e um macaco-prego para um zoológico da Polônia. O comboio com os animais, que partiu de Kiev, tinha como destino a Poznań, a mais de 1 mil km de distância. O trajeto, que duraria em média 12 horas, levou dias.

Animais do zoo de Kiev são levados para Polônia, mas elefantes e único gorila da Ucrânia permanecem na capital sob bombardeios

Parada no caminho para a Polônia: viagem tensa e arriscada

Os caminhões passaram por áreas ocupadas pelos russos, em meio ao fogo cruzado. Foram necessárias várias alterações na rota para que, finalmente, ontem (03/03), os animais chegassem ao Zoo Poznań, na Polônia. Futuramente, eles devem ser encaminhados para santuários de vida selvagem na Espanha ou Bélgica, que se ofereceram para recebê-los.

“Os animais resgatados lidam com o trauma da guerra de diferentes maneiras: alguns com coragem e dignidade, descansam e dormem, e alguns checando a durabilidade de suas camas e brinquedos”, compartilhou o zoológico polonês em suas redes sociais.

Animais do zoo de Kiev são levados para Polônia, mas elefantes e único gorila da Ucrânia permanecem na capital sob bombardeios

O macaco-prego que foi resgatado: seu rosto estampa o estresse do resgate

Apesar das boas notícias, os animais maiores continuam em Ziev e dificilmente serão retirados de lá. Entre eles há elefantes e o único gorila da Ucrânia. Tony já tem 46 anos e uma saúde delicada, dada sua idade avançada.

“Vocês simplesmente não têm ideia do quanto ele significa para nós. Afinal, ele é um ser altamente intelectual. Tony tem tudo planejado. Graças ao treinamento, ele se comunica com os cuidadores – por exemplo, ele pode mostrar com gestos o que quer comer. Ele tem senso de humor e está sempre atento a tudo o que está acontecendo ao seu redor. Ele sente falta quando um membro da equipe está doente e fica animado quando essa pessoa retorna”, relatam seus cuidadores.

O zoológico de Poznán pretende agora tentar resgatar animais de um zoológico na cidade de Lviv, no oeste da Ucrânia.

Enfim, salvo: um dos filhotes de tigre retirado do zoológico de Kiev

Leia também:
Brasileira refugiada da guerra na Ucrânia faz apelo para trazer seu cachorro ao Brasil; Itamaraty e Ministério da Defesa se mobilizam
Voluntários lotam estações de trem em Berlim para receber refugiados ucranianos e oferecer refeições e estadia

World Central Kitchen, criada pelo chef espanhol José Andrés, está na fronteira da Ucrânia com a Polônia, distribuindo refeições para refugiados
Mais de 1 milhão de ucranianos já deixaram o país e ONU estima que esse número possa chegar a 4 milhões se guerra continuar

Fotos: Zoo Pósnan e Kyiv Zoo

4 comentários em “Animais do zoo de Kiev são levados para Polônia, mas elefantes e único gorila da Ucrânia permanecem na capital sob bombardeios

  • 5 de março de 2022 em 8:52 AM
    Permalink

    Zoos não deveriam existir, porque o lugar de cada ser vivente é o seu Habitat. O lugar da espécie humana é o chão das cidades onde ainda se mata e morre por qualquer “toma lá, dá cá aquela palha”. Deixar os animais fora disso seria o minimo elementar de alguma racionalidade mas, esquece: essa “nova” guerra absurda está provando que nada mudou: os irracionais ainda somos nós.

    Resposta
    • 5 de março de 2022 em 4:30 PM
      Permalink

      Guerras não deveriam existir, zoológicos, quando bem administrados, são fundamentais pra conservação de espécies, não só através de reprodução e reintrodução, mas principalmente com pesquisa e educação ambiental…

      Resposta
      • 8 de março de 2022 em 10:44 AM
        Permalink

        Em nada justifica manter um animal enjaulado, a não ser para reabilitação e posterior devolução ao habitat de cada qual. O predador humano sempre encontra desculpas para exibir animais para integrantes de uma platéia sem noção, que paga para assistir o sofrimento alheio, sem remorso algum. Animais não gostam disso. Eu também não.

        Resposta
  • 5 de março de 2022 em 9:09 AM
    Permalink

    Essa matéria no site razoesparaacreditar é uma prova do amor incondicional aos animais: “em meio à guerra, dono de abrigo nega a deixar Ucrânia, para cuidar de seus 450 animais acolhidos”.

    Resposta

Deixe uma resposta

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.