Ameaçada de extinção, ararajuba será reintroduzida em Unidades de Conservação do Pará

ararajuba

De um amarelo vibrante, mas com as pontas da asa verdes, a pequena Ararajuba (Guaruba guarouba) tem as cores da bandeira brasileira. É considerada uma das aves mais belas da família Psittacidae. Justamente pela sua beleza, infelizmente, ela é vítima do tráfico de animais silvestres e corre risco de desaparecer das matas do Brasil, único lugar no mundo onde ela existe.

Mas agora, uma parceria entre a Fundação Lymington, de São Paulo, com o Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade do Estado do Pará (Ideflor-bio) irá reintroduzir a espécie no Refúgio de Vida Silvestre Metrópole da Amazônia e no Parque Estadual do Utinga, situados na região metropolitana de Belém.

Especialistas das duas entidades visitaram as áreas recentemente para fazer o reconhecimento do local e se certificar das condições para que se possa respeitar a distribuição geográfica histórica da ararajuba e as exigências ambientais dos indivíduos a serem liberados. No Parque Estadual do Utinga serão montados viveiros.

“Para que a reintrodução aconteça, devemos determinar as estratégias de soltura, como a adaptação das espécies ao ambiente, treinamento comportamental, número de indivíduos, viveiros de reabilitação e escolhas de melhor pareamento genético em cativeiro para aumento da população”, explicou Nívia Pereira, gerente de Biodiversidade do Ideflor-bio.

A ararajuba é uma ave nativa da região Norte e habita florestas úmidas, do oeste do Maranhão ao sudeste do Amazonas, além do sul do rio Amazonas, leste do rio Madeira, no nordeste de Rondônia e ao extremo norte de Mato Grosso. Ela mede aproximadamente 35 centímetros e se alimenta de flores, frutas e sementes de coquinhos, jabuticaba, mamão, açaí, entre outras. Geralmente, a espécie vive em bandos, já que a Guaruba guarouba, é muito sociável e dócil.

Podendo viver até 30 anos, a ararajuba tem sua fase reprodutiva entre agosto e setembro. Fiel, sempre fica ao lado do mesmo companheiro. Seu nome na língua Tupi significa “arara-amarela” e também é conhecida no Brasil por guaruba, guarajuba e tanajuba.

Foto: Vismar Ravagnani/ Creative Commons/Flickr

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

3 comentários em “Ameaçada de extinção, ararajuba será reintroduzida em Unidades de Conservação do Pará

  • 22 de outubro de 2017 em 1:50 PM
    Permalink

    Tenho um sítio rodeado de fazendeiros no meu sítio tem 6 ararajuba que Moram na Mata e todos os dias ela pouzao no polmar do lado da casa como receber incentivos para preservar

    Resposta

Deixe uma resposta