Amanaci, onça-pintada com patas queimadas por incêndios no Pantanal, recebe alta, mas não voltará à natureza

Amanaci, onça-pintada que teve patas queimadas em incêndios no Pantanal, recebe alta, mas não poderá mais voltar à natureza

Assim como Ousado, a onça-pintada Amanaci virou um dos símbolos da tragédia que devastou o Pantanal. Em agosto, a fêmea foi resgatada em uma casa, na região de Poconé, por equipes do Corpo de Bombeiros do Mato Grosso. Ela teve queimaduras de terceiro grau nas quatro patas por causa dos incêndios que destruíram quase 30% do bioma.

Em estado grave, Amanaci foi levada de helicóptero para o Centro de Medicina e Pesquisa de Animais Silvestres (Cempas), da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). De acordo com os médicos veterinários, além das queimaduras, ela também inalou muita fumaça das queimadas.

Transferida para o Instituto Nex No Extinction, em Corumbá do Goiás, Amanaci ficou em tratamento durante 70 dias, ou seja, mais de dois meses. A onça foi submetida a aplicações de células-troncos para ajudar na cicatrização das feridas das patas, que ficaram em carne viva. Todavia, a extensão das lesões foi muito grande. De acordo com o veterinário Thiago Luczinski, os tendões que ela precisa para expor e usar as garras foram queimados, e sem elas, não conseguirá mais caçar para se alimentar sozinha na vida selvagem.

Ou seja, infelizmente, Amanaci nunca mais voltará ao Pantanal e viverá o resto de sua vida em cativeiro.

Amanaci, onça-pintada com patas queimadas por incêndios no Pantanal, recebe alta, mas não voltará à natureza

Sedada, durante o tratamento, quando teve as patas enfaixadas

Mas a boa notícia é que hoje Amanaci recebeu alta. Em suas redes sociais, o Instituto Nex No Extinction divulgou que Amanaci caminhou pela primeira vez sem as botas que estava usando para proteger suas patas e agora está num ambiente só para ela. Seu quadro de saúde é bom e ela se alimenta muito bem.

“Nossa menina Amanaci, o maior símbolo de força e resiliência deste ano, está de alta! … Gratidão à todos que nos ajudaram nesta luta! Vida longa para Amanaci! 🐆✨🙏🏻 Seguimos lutando por todas elas! Juntos, somos mais fortes! ♥️“, diz a postagem.

Amanaci, onça-pintada com patas queimadas por incêndios no Pantanal, recebe alta, mas não voltará à natureza

A onça se acostumando com o novo espaço

De acordo com Luczinski, a nova casa de Amanaci foi projetada especialmente para ela e conta, inclusive, com um lago. Nesses primeiros meses ela ficará sozinha, mas no futuro, poderá dividir o espaço com um macho. Há outras 23 onças-pintadas vivendo atualmente nesse refúgio de vida selvagem.

Em tupi-guarani, Amanaci significa a “deusa das chuvas”. Esta linda onça será para sempre lembrada como uma das centenas de vítimas dos incêndios no Pantanal.

Leia também:
Quase um mês após voltar ao Pantanal, Ousado, onça-pintada com patas queimadas pelos incêndios, é flagrado caçando
Ousado, onça-pintada que teve patas queimadas pelos incêndios do Pantanal, volta à natureza
Incêndios no Pantanal podem provocar uma redução na população de onças-pintadas no Brasil
Caçadores matam onça-pintada no Pantanal e penduram cabeça em árv
ore

Fotos: Catarina Tokatjian

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta