Alimentos saudáveis fortalecem a conexão da criança com a terra e a natureza

Este é um tema de muitos começos. É a alimentação que garante nossa energia, que nos conecta com outras pessoas, que promove inúmeras experiências sobre o mundo, sobre cultura, sobre afetividade. Mas afinal, por que a alimentação é importante e o que ela tem a ver com a relação da criança com a natureza?

Para começar, a primeira resposta é óbvia porque os alimentos são natureza. São espécies que foram domesticadas há muito, muito tempo. Ao longo da história as espécies selvagens do arroz, do feijão, das frutas e legumes, dos animais foram sendo transformadas, adequando-se ao paladar de cada época. Até aqui, tudo bem.

Acontece que, na era industrial em que vivemos, está havendo uma hiper domesticação dos alimentos, sob o pretexto de aumentar a produção e garantir o armazenamento, as espécies das quais nos alimentamos foram sendo extremamente alteradas, tiveram seus genes modificados e, por isso, se afastaram muito dos originais.

Mas nossos corpos continuam funcionando de acordo com o metabolismo original, selvagem, e sofrem com essa quantidade excessiva de alimentos muito processados. Isso dá origem a inúmeras doenças, diminui a imunidade e o bem estar, e podemos dizer, por experiência própria, que também diminui a sensibilidade, a capacidade de perceber as características mais delicadas e sutis dos alimentos: aromas, sabores, texturas.

Escolher alimentos naturais para o sustento do nosso corpo nos aproxima da terra, dos ciclos, do tempo de cada alimento, do sabor que cada um tem nesse tempo. Sem forçar, sem querer que tenha quando não tem. E aprender a comer o que tem em cada tempo. 

Só quando a gente faz a escolha de uma alimentação mais natural é que se dá conta dessas delicadezas.

Por isso, é tão importante priorizar uma alimentação saudável, com predominância vegetal, sem agrotóxicos, sem transgênicos, sem conservantes e não manipuladas industrialmente para as crianças, e para todas as pessoas.

E o mais incrível e educativo de uma escolha alimentar saudável é que, quanto mais fazemos bem ao nosso corpo, estaremos também fazendo bem ao planeta. Isto porque, para produzir alimentos saudáveis, é preciso ambientes saudáveis, água limpa, e relações de produção também saudáveis. As pessoas que trabalham na terra precisam estar bem e com saúde, livres de venenos que fazem mal à sua saúde, precisa ter relações de trabalho satisfatórias.

Quando a gente compra alimentos e conhece de onde vêm, fica com o sentimento mais forte de conexão com a terra, com o movimento da vida que vem da terra, que vai para o nosso prato e nosso corpo. É uma forma de reconhecermos o nosso corpo ampliado, o corpo da Terra vindo a nós por meio do alimento. E, assim, nos darmos conta da maravilha que é poder se alimentar de produtos que trazem, em si, uma nova perspectiva de mundo, em que os processos produtivos revelam uma relação saudável e coerente com a terra, com os processos naturais da vida.

Foto: Jenny Johansson/Pixabay

Ana Carolina Thomé e Rita Mendonça

Ana Carolina é pedagoga, especialista em psicomotricidade e educação lúdica, e trabalha com primeira infância. Rita é bióloga e socióloga, ministra cursos, vivências e palestras para aproximar crianças e adultos da natureza. Quando se conheceram, em 2014, criaram o projeto "Ser Criança é Natural" para desenvolver atividades com o público. Neste blog, mostram como transformar a convivência com os pequenos em momentos inesquecíveis.

Deixe uma resposta