Cantor Alexandre Pires é alvo de operação da PF contra garimpo ilegal na Terra Indígena Yanomami

Alexandre Pires é investigado em operação da PF contra garimpo ilegal na Terra Indígena Yanomami

Alvo da ‘Operação Disco de Ouro’ da Polícia Federal – que é um desdobramento de ação da PF deflagrada em janeiro de 2022 –, o cantor Alexandre Pires integraria ‘núcleo financeiro’ de quadrilha e teria recebido R$ 1,3 milhão de mineradora investigada em inquérito

Na segunda-feira, 4/12, ele foi alvo de mandado de busca e apreensão, durante cruzeiro onde se apresentava, em Santos, litoral de São Paulo. Segundo os policiais, antes de ter seu celular apreendido, Pires se escondeu no banheiro de uma cabine do navio.  No mesmo dia, a PF prendeu, preventivamente, Matheus Possebon, empresário do cantor. 

A investigação da PF identificou indícios de um suposto esquema para a retirada ilegal de cassiterita de terras Yanomami, em Roraima. O minério, muito valorizado no mercado internacional, era declarado como de garimpo regular no Rio Tapajós, em Itaituba, no Pará, e transportado para Roraima para beneficiamento. 

Em nota, a PF informou que “foram identificadas transações financeiras que relacionariam toda a cadeia produtiva do esquema, com a presença de pilotos de aeronaves, postos de combustíveis, lojas de máquinas e equipamentos para mineração e laranjas para encobrir movimentações fraudulentas”.

Pires recebeu dois depósitos – um de R$ 357 mil e outro de R$ 1 milhão -, em suas contas bancárias. E uma delas foi usada para enviar R$ 160 mil para a mineradora, em atividade considerada atípica pela PF. 

De acordo com investigadores, tais movimentações indicam que o cantor ignorou “a origem do dinheiro e assumiu o risco de ser proveniente de atividade criminosa”. 

Mais: “Os valores expressivos advindos de uma pessoa jurídica do ramo minerário com artista consagrado nacionalmente é um forte indicativo de ignorância deliberada sobre a origem criminosa do dinheiro de forma a evitar responsabilização criminal”. Por isso, o artista está sendo investigado. 

Seu advogado, Luiz Flávio Borges D’Urso, negou participação de Pires na quadrilha, destacando que ele é “uma das mais importantes referências da música brasileira, sendo possuidor de uma longa e impecável carreira artística”.

Operação Disco de Ouro é um desdobramento de ação da PF deflagrada em janeiro de 2022, quando 30 toneladas de cassiterita extraídas da terra Yanomami foram encontradas na sede de uma empresa investigada e estariam sendo preparadas para remessa ao exterior. 
_______________

Foto: montagem com fotos de divulgação do cantor e do ISA – Instituto Socioambiental

Fontes: G1, Jornal O Globo, O Estadão

Deixe uma resposta

Mônica Nunes

Jornalista com experiência em revistas e internet, escreveu sobre moda, luxo, saúde, educação financeira e sustentabilidade. Trabalhou durante 14 anos na Editora Abril. Foi editora na revista Claudia, no site feminino Paralela, e colaborou com Você S.A. e Capricho. Por oito anos, dirigiu o premiado site Planeta Sustentável, da mesma editora, considerado pela United Nations Foundation como o maior portal no tema. Integrou a Rede de Mulheres Líderes em Sustentabilidade e, em 2015, participou da conferência TEDxSãoPaulo.