Airbnb dará moradia temporária para 20 mil refugiados afegãos

Airbnb dará moradia temporária para 20 mil refugiados afegãos

Ainda não é claro qual o número exato de afegãos deixaram aquele país nos últimos dias e quantos ainda conseguirão fugir. Depois de tomar o controle de diversas cidades, o Talibã chegou à capital Cabul no domingo, 15/08, após os Estados Unidos e outras nações terem retirado suas tropas do Afeganistão, que ficaram quase 20 anos por lá. Por causa de um acordo feito com o grupo extremista ainda sob o governo de Donald Trump, os americanos têm até o final deste mês, no dia 31, para deixar o território agora dominado pela milícia terrorista.

Diariamente, dezenas de aviões de diversos países têm saído do aeroporto de Cabul levando milhares de refugiados para diferentes destinos. Estima-se que até 50 mil afegãos poderiam ir para os Estados Unidos, caso consigam ser resgatados a tempo antes do ultimato dado pelo Talibã. Nos últimos dias, os aviões militares americanos já trouxeram muitas famílias, que na maior parte das vezes, chegam sem absolutamente nada, apenas carregando os próprios filhos.

Para fazer sua parte nesta grave crise humanitária, a companhia Airbnb anunciou ontem (24/08) que oferecerá estadia temporária para 20 mil refugiados afegãos no mundo.

“À medida que dezenas de milhares de refugiados afegãos se reassentam em todo o mundo, onde ficarem será o primeiro capítulo de suas novas vidas. Para esses 20 mil refugiados, minha esperança é que a comunidade do Airbnb forneça a eles não apenas um lugar seguro para descansar e recomeçar, mas também uma recepção calorosa em casa”, afirmou Brian Chesky, CEO e fundador da empresa.

Segundo o comunicado divulgado pela Fundação Airbnb, o custo para financiar as estadias será bancado por meio de contribuições da companhia para a sua fundação e também, de uma doação particular feita por Chesky.

Para determinar onde estas estadias são mais necessárias, a Airbnb trabalhará em parceria com governos e organizações locais que ajudam na recepção e acolhimento de refugiados, como o Comitê Internacional de Resgate (RIC, na sigla em inglês), por exemplo. “Moradias acessíveis são urgentemente necessárias e essenciais para enfrentar este momento, proporcionando lugares seguros e acolhedores para indivíduos e famílias que chegam aos Estados Unidos e começam a reconstruir suas vidas”, diz David Miliband, presidente e CEO da entidade.

Que a iniciativa da Airbnb sirva de exemplo para outras empresas do mundo inteiro, que também têm importante papel social a cumprir neste momento tão difícil!

Leia também:
Com medo do Talibã, ativista e capitã da seleção paralímpica de basquete do Afeganistão foge para Espanha, onde é recebida por time local
Ex-capitã da seleção de futebol do Afeganistão recomenda que jogadoras se livrem de uniformes e apaguem redes sociais
Talibã diz no Afeganistão que respeitará direitos das mulheres, mas há ceticismo mundial
“Estou profundamente preocupada com as mulheres do Afeganistão”, diz Malala

Foto: divulgação Airbnb

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta