PUBLICIDADE

Ainda há esperança de salvar a árvore de 150 anos, queimada pelo incêndio de Maui

Ainda há esperança de salvar a árvore de 150 anos, queimada pelo incêndio de Maui

Duas semanas após o devastador incêndio florestal que arrasou a pequena cidade de Lahaina, em Maui, no Havaí, é intenso o trabalho de autoridades para, primeiramente, tentar identificar os corpos carbonizados de centenas de vítimas – ainda são mais de 800 desaparecidos e o total de mortos chega a 114, até este momento -, e avaliar o impacto da destruição.

Na área ambiental, uma das principais perdas foi uma árvore com estimados 150 anos: uma gigantesca figueira-de-bengala (Ficus benghalensis), considerada a mais antiga dessa espécie nos Estados Unidos. Ela ficava no meio de uma praça e era uma das atrações turísticas de Lahaina.

Apesar de continuar em pé, inicialmente acreditou-se que a árvore tivesse sido morta pelas chamas, mas agora arboristas do Departamento da Terra e de Recursos Naturais do Havaí e outros especialistas fizeram uma reavaliação e acreditam que existe esperança para salvar a centenária figueira-de-bengala. As raízes podem ter sobrevivido.

Entre as técnicas sendo empregadas para salvar a árvore estão a aeração do solo para que água, ar e nutrientes cheguem mais facilmente até suas raízes, e a manutenção da terra úmida, regando todo o entorno da figueira várias vezes por dia.

“Estamos colocando na árvore também uma mistura feita de resíduos de compostagem e micro-organismos”, explica o arborista Steve Nims. “Quando alguém está em coma, essa pessoa pode demorar dias, semanas, meses ou anos para acordar, mas seus sinais vitais estão funcionando, até que vemos um piscar de olhos ou um dedo se mover. E na árvore, assim que vermos um broto ou uma folha nascendo, aí saberemos que ela está respondendo ao tratamento ou se precisaremos mudá-lo”.

Ainda há esperança de salvar a árvore de 150 anos, queimada pelo incêndio de Maui

A figueira, antes do incêndio: os troncos espalhados davam a impressão de serem várias árvores,
mas é apenas uma
(Foto: Lahainan Town)

A figueira, batizada de paniana na língua havaiana, era apenas uma muda de 2,5 metros quando o então prefeito de Lahaina, William Owen Smith – natural de Kauai e procurador-geral da República do Havaí – a plantou no coração da vila. O ano era 1873.

Leia também:
Resíduos do incêndio em Maui colocam em risco a sobrevivência de corais na região
Plantas de espécies invasoras extremamente inflamáveis ajudaram fogo a se alastrar em Maui
Pessoas se jogam no mar para fugir de chamas em incêndio em Maui

Foto de abertura: divulgação / Flickr Governor Josh Green, M.D.

Comentários
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Notícias Relacionadas
Sobre o autor
PUBLICIDADE
Receba notícias por e-mail

Digite seu endereço eletrônico abaixo para receber notificações das novas publicações do Conexão Planeta.

  • PUBLICIDADE

    Mais lidas

    PUBLICIDADE