Aeroporto de Amsterdam ‘contrata’ porcos para afastar aves da rota dos aviões e evitar acidentes

Aeroporto de Amsterdam 'contrata' porcos para afastar aves da rota dos aviões e evitar acidentes

Gansos adoram beterrabas. No entorno do aeroporto de Schiphol, em Amsterdam, na Holanda – um dos maiores e mais conhecidos da Europa – a natureza é potente, com muita água e prados gramados, e há ricas terras agrícolas (que produzem o delicioso legume). Isso torna a região um “poleiro muito popular” para as aves, o que representa grande perigo para os aviões e deixa pilotos, passageiros, fiscais de pista e controladores de vôo tensos.

Hoje, para evitar acidentes, o aeroporto mantêm 20 controladores que rastreiam as aves, utilizando ruídos e feixes de laser para detê-las em vôo. Mas essa solução não tem demonstrado efetividade.

Para resolver esse problema e garantir a segurançaevitando a colisão das aves com as aeronaves e que elas sejam sugadas pelas turbinas -, foi adotada uma solução inusitada: a ‘contratação’ de porcos de uma fazenda vizinha para ‘pastarem’ nas plantações de beterraba situadas entre as duas pistas do aeroporto.

O porco é um inimigo duplo dos gansos o que pode garantir o acerto do experimento: ele tenta pegá-los, quando descem ao chão, e comem a comida deles.

Na primeira fase do projeto – que terminou na semana passada – eles ficaram espalhados por uma área de cerca de 2km: parte fica na fazenda e parte, no aeroporto. Para que os especialistas possam fazer comparações e avaliar melhor o resultado, também foi mantido um terreno com plantações e sem porcos.

E o resultado foi positivo! Talvez, por isso, a notícia foi bastante disseminada em veículos estrangeiros e também no Brasil.

Ao jornal britânico The Guardian, por exemplo, Willemeike Koster, porta-voz do Royal Schiphol Group, contou que poucos gansos foram vistos na área (reservada) e os porcos fizeram um bom trabalho, “comendo os resíduos da colheita”.

Mas, para chegar a resultados conclusivos e poder ampliar o projeto, ainda é preciso analisar os dados coletados pelo radar de aves e as observações visuais, entre outros detalhes.

Ruído e cauda

E o barulho ensurdecedor dos aviões taxiando e decolando: não seria prejudicial aos porcos? Um dos especialistas envolvidos no projeto, Herman Vermeer (pesquisador em bem-estar de suínos, na Wageningen University & Research) declarou que, embora não se tenha investigado os efeitos do ruído em porcos ao ar livre, “é provável que eles se adaptem bem”.

“Os porcos geralmente precisam de silêncio para se comunicar; por exemplo, com uma mãe e leitões em uma baia, o barulho pode incomodá-los ”, disse. “Mas ao ar livre, geralmente ficam chocados na primeira vez que ouvem um barulho, mas eles também são oportunistas e flexíveis”.

O fato de manterem caudas altas e abanando pode demonstrar que não há evidências de que os porcos se sintam incomodados com o ruído. “Se eles estão infelizes, mostram isso como um cachorro: com seu rabo”.

De acordo com o jornal britânico, há dois anos, um Boeing 747 da KLM foi atingido pelo que se acredita ter sido uma “colisão de aves” e foi obrigado a retornar ao aeroporto. Imagine o prejuízo!

Já em 2009, em Nova York, o choque com aves também foi a causa de um “quase desastre” que ficou famoso e envolveu uma aeronave da US Airways: o piloto teve que pousar o Airbus A320 no rio Hudson.

Foto: Lance Cheung/Domínio Público/Flickr/Rawpixel

Mônica Nunes

Jornalista com experiência em revistas e internet, escreveu sobre moda, luxo, saúde, educação financeira e sustentabilidade. Trabalhou durante 14 anos na Editora Abril. Foi editora na revista Claudia, no site feminino Paralela, e colaborou com Você S.A. e Capricho. Por oito anos, dirigiu o premiado site Planeta Sustentável, da mesma editora, considerado pela United Nations Foundation como o maior portal no tema. Integrou a Rede de Mulheres Líderes em Sustentabilidade e, em 2015, participou da conferência TEDxSãoPaulo.

Deixe uma resposta