A magia da Caixa de Passarinho

A magia da Caixa de Passarinho

Somos da época em que a vovó retirava muitas coisas do baú: caixas, retalhos e papéis habilmente transformados em brinquedos. E, nada mais afetivo do que uma caixinha de madeira para guardarmos recortes, desenhos, bilhetes e fotografias. Foi pensando nisso que surgiu a ideia de criar a Caixa de Passarinho.

Quando começamos a bolar essa caixinha morávamos na Reserva Rio das Furnas. Alfredo Wagner era a cidade mais próxima, no interior de Santa Catarina, e lá encontramos um marceneiro que sabia fazer móveis de encaixe – sem pregos. Arte um tanto perdida no tempo.

Queríamos uma caixa para transportar as fotos utilizadas nas Rodas de Passarinho. Insetos, sapos, cobras, plantas, enfim, tudo o que fosse tema para uma boa conversa a gente fotografava e, claro, tinha muita imagem de passarinho, sempre as preferidas das crianças.

Foram tantas as possibilidades pensadas para o uso desse material, que resultaram na Caixola de Ideias, personagem que nos acompanhou em muitas rodas. Mas essa é uma conversa para outra postagem, hoje apresentaremos a Caixa de Passarinho.

Selecionamos 70 fotos de aves, imprimimos um livreto contando a história da reserva e dos passarinhos, e lançamos uma primeira edição de 50 caixinhas numeradas para nos acompanhar nas Rodas de Passarinho.

Logo em seguida, iniciamos as expedições aos biomas brasileiros e, na primeira, para o Pantanal, levamos a caixa com as aves da Floresta Atlântica.

A cada expedição, novas espécies eram incluídas e ao final, estávamos com sete caixas, uma para cada bioma. O espaço – apertado! – na Toyoca era dividido com mantimentos, roupas, equipamentos, pôsteres e a “mala” da Roda de Passarinho, então decidimos selecionar algumas aves de cada bioma e levar só uma caixinha, a versão definitiva que circula até hoje.

Quando mudamos para Santo Amaro da Imperatriz paramos de produzir a Caixa de Passarinho. O marceneiro de Alfredo Wagner virou vidraceiro e foi difícil encontrar alguém que trabalhasse com madeira de demolição e fizesse a caixinha tal qual havíamos criado e nos afeiçoado.

Mas tudo tem a sua hora e, depois de várias tentativas, encontramos um marceneiro que curtiu a ideia e fez mais 25 réplicas daquela caixinha.

Criamos um novo livreto onde sugerimos atividades para a Roda de Passarinho com uma breve descrição, mapa de ocorrência e um link para ouvir o canto das espécies selecionadas de cada bioma. Também acrescentamos alguns mamíferos e uma foto surpresa. Pronto!

Ao abrir a caixinha é possível sentir, no perfume exalado pelo cedro, um certo ar de “baú da vovó”, tempero ideal para memórias e maravilhas.

Abaixo fotos de algumas de nossas caixas e imagens contidas dentro delas:

A magia da Caixa de Passarinho
A magia da Caixa de Passarinho

*Caso você tenha interesse, as Caixas de Passarinho estão à venda online neste link. O dinheiro da comercialização das caixinhas, que tem um valor alto pois é feita com madeira maciça e as fotos são todas originais, é usado para custear as expedições pelo Brasil e seu trabalho de sensibilização ambiental.

Leia também:
O mais novo voo da Roda de Passarinho

O voo da Roda de Passarinho pelos biomas do Brasil
Aves da Floresta Atlântica ganham guia de bolso
Guia revela a beleza e a diversidade de 120 aves da Amazônia matogrossense

Fotos: Renato Rizzaro/Arquivo Pessoal

Gabriela Giovanka e Renato Rizzaro

Gabriela Giovanka é administradora de empresas, especializada em Naturologia Aplicada. Renato Rizzaro é designer gráfico e fotógrafo. Juntos criaram a Roda de Passarinho, e com suas viagens de norte a sul do país, buscam aproximar as pessoas da natureza, através de fotografias e do canto das aves, sementes, instrumentos musicais, relatos de vivências e exercícios que inspirem a vida comunitária.

Deixe uma resposta