10 dicas para um ano letivo cheio de natureza

Começo de ano também significa retorno às atividades na escola. E um ano letivo tem duração de 200 dias. São 200 dias nos quais as crianças estarão nesse espaço coletivo de aprendizagens. Para mim, que acredito na potência da relação entre criança e natureza para seu desenvolvimento, são 200 dias de muitas oportunidades para experimentar o mundo, criar intimidade com a vida e ampliar a relação com o mundo natural.

E existem diversas possibilidades para fazer isso acontecer, considerando o contexto em que você, que trabalha com crianças, está inserido.

Sempre é possível fazer a relação entre criança e natureza acontecer um pouquinho mais, mas isso não é possível sem contato direto e sensível com a vida. Por isso, a escola precisa ser o lugar onde essa aprendizagem se desenvolve, onde aprendemos sobre o mundo.

Compartilho com você 10 sugestões para inspirar boas ações com e na natureza ao longo deste ano letivo de 2022. 

1. Priorize espaços ‘ao ar livre’

Foto: Cherylholt/Pixabay

Precisa escolher um espaço para realizar uma atividade? Uma leitura? Uma brincadeira? Uma proposta de investigação? Escolha um lugar ao ar livre! Priorize espaços ao ar livre! Um quintal, um corredor, um jardim.

Que espaços ao ar livre estão disponíveis onde você está? Que boas maneiras você pode explorar e promover em cada canto da escola com boas experiências?

2. Converse com as famílias

Foto: Escola Arapoti

Conversar com pais, mães, irmãos/irmãs, tias/tios, avós/avôs das crianças sobre a importância da relação entre elas e a natureza, e como a escola vai se movimentar para que isso aconteça, é essencial.

Compartilhe informações, ofereça textos informativos, sensibilize por meio de vivências, dê visibilidade para as aprendizagens que acontecem com e na natureza. Tudo isso é importante para que as famílias não apenas apoiem, mas estejam juntas neste trabalho.

3. Relação adulto e natureza

Foto: Renata Stort

É impossível querer incentivar uma relação que não existe em mim! Para que adultos incentivem e promovam o contato entre criança e natureza é preciso que invistam na sua própria conexão.

Então, dedique alguns momentos do seu dia para perceber a vida que pulsa ao seu redor, acompanhar ciclos, observar plantas. Se quiser uma ajudinha confira as cartas de experiências com a natureza disponíveis neste link para download.

4. De dentro pra fora

Foto: Fernanda Lopes

Você já parou para pensar que uma atividade realizada do lado de dentro também é possível de acontecer do lado de fora? Pense na sua rotina, em todas as situações que organiza e vive com as crianças. Escolha uma e planeje para que ela aconteça do lado de fora.

Como você vai organizar o espaço, falar com as crianças, que materiais vai usar? É possível?

Dica importante: comece com as propostas com as quais você tem mais familiaridade e segurança – uma brincadeira, uma leitura, uma observação. E deixo aqui, também, um desafio: você consegue realizar nos espaços externos tudo que realiza nos internos?

5. Materiais naturais

Foto: Renata Stort

A presença de elementos da natureza também nos espaços internos nos conectam com a vida, com o movimento, com os ciclos, com as transformações. Por isso, ter um acervo de materiais naturais enriquece ações como brincar, explorar, construir, investigar, criar.

Gravetos, pedras, sementes, frutos, entre outros materiais, são perfeitos para nutrir o interesse das crianças e os levarem a descobertas sobre a vida e o mundo.

6. Biblioteca da Floresta

Histórias encantam, provocam, nos deslocam. Bons livros geram boas conversas e inúmeras brincadeiras. Então, repare no acervo da sua biblioteca e liste bons livros que podem ajudar a ampliar sua conexão com a natureza.

Nas redes sociais do Ser Criança é Natural (Instagram e Facebook), usamos a hashtag #BibliotecadaFloresta nos posts em que damos indicações literárias cheias de natureza.

Mas não pense que são livros que falam sobre natureza, mas, sim, despertam ainda mais os nossos sentidos, aproximam nosso olhar para a natureza do entorno e ajudam a sensibilizar nossas percepções.

Que tal criar uma seleção de livros cheios de natureza por aí?

7. Naturário

Foto: Ana Carol Thomé

O Naturário do programa Ser Criança é Natural foi criado para registrar diariamente nosso encanto pela natureza onde vivemos. Falamos sobre isso, aqui no blog, em janeiro do ano passado.

Viver essa experiência na escola, junto com professores e colegas é um disparador para muitas pesquisas e diversas aprendizagens.

O material poder ser baixado gratuitamente no site Ser Criança é Natural. Quem faz o download ainda recebe mensalmente uma newsletter que divulga os temas dos diálogos de cada mês.

8. Biodiversidade

Foto: Jenny Johansson/Pixabay

Repare na biodiversidade no seu entorno. Você pode não saber o nome das espécies, mas consegue identificar semelhanças e diferenças? Quantas variedades de flora existem por aí? Quantas vidas se conectam a partir dessa flora? Que insetos, pássaros e outros animais você pode encontrar?

Viver num espaço biodiverso nos ensina sobre as relações que existem no planeta e sobre nós mesmos, sobre a natureza que somos. Mesmo que em vasos, ou pequenos canteiros conheça a biodiversidade e crie movimentos para que ela seja cada vez mais rica.

9. Marcas de alegria

Foto: Ana Carol Thomé

Quando entramos numa relação saímos marcados de muitas formas. Brincar com a natureza pode nos deixar marcas coloridas! Marcas de terra, de lama, de frutas, de folhas…

E que bom que essas marcas chegaram até as crianças! Troque a palavra “sujeira” do seu vocabulário por marcas de alegria, ou marcas da natureza. Cada uma dessas marcas revelam muitas boas experiências vividas e com certeza proporcionaram boas memórias.

10. Crie oportunidades

Foto: acervo ‘Nosso Quintal’

São 200 dias letivos para viver boas experiências. Seja o adulto que proporciona boas oportunidades para que as crianças e os jovens se encantem pelo mundo e sejam atravessados por ele. Todo o conteúdo que faz parte do currículo surgiu das nossas relações com o mundo, da curiosidade da nossa espécie.

Então, o que mais podemos conhecer do mundo, hoje? Que mundo as crianças estão conhecendo? Aproxime as crianças do planeta vivo e seja responsável por seres humanos que crescem e se desenvolvem em sua integralidade.

Foto (destaque): Renata Stort

Ana Carol Thomé

É pedagoga, especialista em psicomotricidade e educação lúdica. Participa de diversas formações sobre primeira infância, brincar e arte para crianças e coordena o programa Ser Criança é Natural (que dá nome a este blog), do Instituto Romã, que incentiva o contato das crianças com a natureza. Organiza a ação Doe Sentimentos e acredita no poder da infância e que o mundo pode ser melhor.

Deixe uma resposta