Vovós suíças processam governo por causa das mudanças climáticas

Vovós suíças processam governo por causa das mudanças climáticas

459 mulheres, todas com mais de 65 anos, foram até a corte de justiça de Berna, capital suíça, ontem (25/10), para entregar o processo que estão movendo contra o governo de seu país. As mulheres, que fazem parte do grupo KlimaSeniorinnen (Senior Women for Climate Protection, em alemão) afirmam que a Suíça não está fazendo o suficiente para garantir que o país contribua para reduzir a emissão de gás carbônico na atmosfera e assim, prevenir os efeitos do aquecimento global.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), as pessoas mais velhas estão entre as mais afetadas pelos extremos do clima. Temperaturas muito altas contribuem diretamente para a morte causada por desidratação e problemas cardiovasculares e respiratórios, principalmente nos idosos. Na onda de calor altíssimo que aconteceu na Europa, em 2003, por exemplo, mais de 70 mil mortes foram relacionadas com o tempo anormalmente quente.

“Há evidência científica que períodos de calor extremo serão cada vez mais frequentes daqui em diante”, afirmou Ursula Bruuner, advogada do grupo, ao site Swissinfo. “Altas temperaturas podem aumentar as chances de morte entre mulheres mais velhas”.

O grupo acusa Doris Leuthard, ministra do Meio Ambiente, e o governo suíço de ignorarem as metas climáticas da constituição do país e ainda, de violarem os direitos humanos.

No processo de 150 páginas, o governo é denunciado por se comprometer a diminuir suas emissões de dióxido de carbono (CO2) em apenas 20% até 2020, em relação aos níveis de 1990. Para o grupo de mulheres, esta porcentagem não é suficiente.

“Como avó, uma das minhas funções mais importantes é assegurar a qualidade de vida no futuro para meus netos e nosso planeta”, disse Rosmarie Wydler-Wälti, copresidente do KlimaSeniorinnen, ao Greenpeace International.

Entre a lista de sugestões feitas pelo grupo estão a implementação de subsídios para a compra de carros não-poluentes, construção e renovação de prédios e construções sustentáveis e leis mais rígidas para a agricultura.

As vovós suíças decidiram iniciar o processo depois que souberem que houve casos similares e bem sucedidos na Holanda, Noruega, Canadá, Filipinas e Estados Unidos. Caso o governo não dê uma resposta satisfatória, elas prometem apelar para a Corte de Direitos Humanos da Europa.

Foto: Flurin Bertschinger/KlimaSeniorinnen

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para várias publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, acaba de mudar para os Estados Unidos

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para várias publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, acaba de mudar para os Estados Unidos

Deixe uma resposta