Vivienne Westwood, designer de moda, faz apelo para que seus consumidores ‘não comprem nada!’

Vivienne Westwood nunca foi uma estilista comum. Não é pra menos: tem o movimento punk na veia e sempre foi contra o status quo, inventando, literalmente, moda. Até hoje é conhecida como a dama do punk por conta de sua trajetória inicial. Adepta desse estilo e muito criativa, ela vestiu os integrantes de bandas de punk rock dos anos 70, como a pioneira Sex Pistols, da qual seu marido e sócio, Malcolm McLaren, era produtor.

Seu espírito inquieto facilmente a engajou em causas humanitárias e ambientais, como  campanhas pelo desarmamento nuclear, pelos direitos civis de minorias e contra as mudanças climáticas como o Climate Revolution. E,por isso, faz de suas roupas as ‘bandeiras’ perfeitas para defendê-las. Ou polemiza com declarações como a que fez durante apresentação de sua nova coleção em Berlim, na semana passada, onde bradou: Não comprem nada!

Na linha de seu já conhecido mantra anticonsumismo – Compre menos, escolha melhor e faça durar! -, a frase provoca seus consumidores e admiradores a praticar a sustentabilidade em suas compras, consumindo apenas o necessário, e ainda acrescentou na ocasião: “Se você quer ser corajoso, tem que fazer escolhas”.

Westwood reconhece que a indústria da moda ainda tem um caminho longo a trilhar para se tornar realmente sustentável, mas sabe que não há tanto tempo para isso. De acordo com o Boston Consulting Group, os próximos 15 anos serão desafiadores para a essa indústria já que as previsões apontam que o consumo pode subir 63% , representando a produção/venda de 500 bilhões de camisetas no mundo. Não há lugar no planeta para isso, nem recursos, sabemos.

A designer reconhece que boa parte dos consumidores, no mundo, não faz escolhas, mas é guiado pelo desejo. E isso não é válido apenas no mundo da moda, mas das notícias, da alimentação – por isso, o consumo de McDonald’s, por exemplo!! – e finaliza: “Comprar menos e buscar qualidade também significa incentivar os designers a criar uma moda melhor, não apenas levando em conta o marketing e interesses comerciais”.

E, assim, a eterna ‘dama do punk’ dá poder e responsabilidade a seus consumidores. Afinal, está nas mãos deles transformar uma das indústrias mais poluidoras do mundo, que não só tem em sua conta a degradação ambiental, mas  também o desrespeito aos direitos humanos, já que tem representantes na lista de corporações que incentivam ou praticam o trabalho escravo ou análogo a ele.

Então, por mais Viviennes Westwood na moda!

Foto: Divulgação/Página da designer no Facebook

Jornalista com experiência em revistas e internet, escreveu sobre moda, luxo, saúde, educação financeira e sustentabilidade. Trabalhou durante 14 anos na Editora Abril. Foi editora na Claudia e Boa Forma, no site feminino Paralela, e colaborou com Você S.A. e Capricho. Por oito anos, dirigiu o premiado site Planeta Sustentável, considerado o maior portal no tema pela UNF. Integra a Rede de Mulheres Líderes em Sustentabilidade.

Mônica Nunes

Jornalista com experiência em revistas e internet, escreveu sobre moda, luxo, saúde, educação financeira e sustentabilidade. Trabalhou durante 14 anos na Editora Abril. Foi editora na Claudia e Boa Forma, no site feminino Paralela, e colaborou com Você S.A. e Capricho. Por oito anos, dirigiu o premiado site Planeta Sustentável, considerado o maior portal no tema pela UNF. Integra a Rede de Mulheres Líderes em Sustentabilidade.

Deixe uma resposta