Veículos elétricos e híbridos ficarão fora do rodízio em SP

carro elétrico sendo recarregado

A partir de agora, veículos elétricos e híbridos poderão circular todos os dias na capital paulista, sem obedecer ao rodízio da cidade, que impede que carros com finais de placas específicas andem pelas ruas em determinados dias.

Na prática, o decreto, sancionado pelo prefeito Fernando Haddad, na segunda (14/09), não terá reflexo prático nenhum no já complicado trânsito de São Paulo, mas levanta uma importante bandeira: a do incentivo ao uso de veículos não poluentes, ou seja, que não sejam movidos a combustíveis fósseis, como diesel e gasolina.

Infelizmente, a frota de veículos verdes ainda é muito pequena em São Paulo. Estima-se que sejam 387 carros de passeio na capital e 723 no estado. É um reflexo da realidade nacional. Segundo a Associação Brasileira do Veículo Elétrico, em todo país estão circulando apenas 3 mil carros híbridos e elétricos, contra nada menos do que 88 milhões de carros com motores que jogam dióxido de carbono na atmosfera (o gás, CO2, é o principal responsável pelo efeito estufa na superfície do planeta). Um dos motivos do pequeno volume da frota brasileira de elétricos é o custo. Estes modelos ainda são bastante caros.

Esta já é a segunda medida promovida por Haddad para estimular a compra de veículos verdes. Em agosto, o prefeito anunciou que os elétricos, movidos a hidrogênio ou híbridos, teriam desconto de 50% sobre o Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA).

Uma pesquisa do Instituto de Eletrotécnica eEnergia da Universidade de São Paulo analisou o cenário internacional do setor. Atualmente, circulam 4,5 milhões de veículos elétricos no mundo, sendo que 95% deles, são híbridos. Há uma previsão de que estes modelos representem 50% da frota global até 2030.

Outras cidades do mundo também têm dado prioridade aos carros elétricos. Em Paris, devido ao grave problema com a poluição, um rodízio municipal foi implementado para veículos movidos a diesel e gasolina. Somente ficaram liberados para trafegar carros com motores elétricos ou híbridos, como mostramos aqui neste post. Recentemente, o Uruguai foi outro país a acenar com a bandeira dos não-poluentes. O governo anunciou subsídios e outros incentivos para motoristas de táxi dispostos a mudar para automóveis elétricos.

Diferença entre veículos elétricos e híbridos:

– Elétricos: não têm motor a combustão. São movidos somente pela bateria, que é maior, mas com autonomia limitada. Necessitam de longas recargas na tomada;

Híbridos: possuem dois motores, um deles movido a combustão (gasolina ou diesel) e outro elétrico, que se recarrega sozinho (com a eletricidade acumulada na bateria). Apresenta redução de até 80% no consumo de combustível e na emissão de poluentes.

Foto: domínio público/pixabay

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para várias publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, acaba de mudar para os Estados Unidos

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para várias publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, acaba de mudar para os Estados Unidos

Deixe uma resposta