Unesco lança livro com deliciosas (e sustentáveis) receitas das Reservas da Biosfera da Humanidade

Chipa de mandioca da Argentina, pão de macadamia da Austrália, espetinho de queijo de soja de Burkina Faso, risoto de gorgonzola da Itália, goulash da Hungria, sardinhas fritas da Espanha…

O que todos esses pratos têm em comum, além de atiçar nosso paladar e nos dar água na boca?

Eles são receitas típicas, preparadas com ingredientes locais, de comunidades que vivem em Reservas da Biosfera, locais considerados modelos de desenvolvimento sustentável.

Não são simples áreas de proteção ambiental. Mas exemplos de regiões onde já é possível conciliar a conservação da biodiversidade com o uso sustentável de recursos naturais e a promoção da igualdade social.

O título de Reserva da Biosfera é concedido pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). O programa científico “O Homem e a Biosfera foi lançado em 1971 e tem como principal objetivo melhorar a interação entre pessoas e o ambiente natural em que vivem – zonas de ecossistemas terrestres e costeiros.

Na semana passada, para celebrar o Dia Mundial da Biodiversidade, em 22 de maio, a Unesco lançou a publicação, online e com download gratuito, Flavours from Biosphere Reserves, com receitas de diversas Reservas da Biosfera.

O livro digital será atualizado frequentemente, com novos pratos. Atualmente ele só está disponível em inglês e francês.

A manutenção e a disseminação de receitas centenárias e tradicionais de geração para geração são essenciais para garantir a segurança alimentar na Terra.

Nos últimos 100 anos, milhares de cultivos de alimentos sumiram das lavouras globais, muitos animais deixaram de serem domesticados e consumidos.

Sardinhas são pescadas de forma sustentável, em pequenos barcos,
nas Ilhas Canárias

Exemplos do desenvolvimento sustentável

Anualmente a Unesco recebe novas candidaturas para o título de Reserva da Biosfera. As indicações são feitas pelos governos locais, que possuem soberania sobre estas áreas, mas todo o processo tem que ser autorizado pelos moradores desses lugares.

Atualmente, no mundo todo, são 686 Reservas da Biosfera da Unesco, localizadas em 122 países.

O Brasil possui sete delas delas: Cerrado, Pantanal, Caatinga, uma extensa área de Mata Atlântica, que passa por vários estados, a zona central da Amazônia, o Espinhaço Range, que vai desde Minas Gerais até a Bahia, numa área total de 128 milhões de hectares, e o cinturão verde ao redor da cidade de São Paulo.

Constantemente, as reservas passam por novas avaliações. Caso não cumpram as exigências pré-determinadas pelo programa das Nações Unidades, podem perder o título.

Fotos: divulgação Unesco

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Um comentário em “Unesco lança livro com deliciosas (e sustentáveis) receitas das Reservas da Biosfera da Humanidade

  • 30 de maio de 2019 em 12:22 PM
    Permalink

    Com água na boca desde que não contenham ingredientes de origem animal porque, principalmente em áreas de Proteção Ambiental não se concebe que alguns não sejam protegidos, ao contrário, sejam degustados embora não gostem nada da ideia de irem para a panela. Por melhor sejam as receitas que os incluam, coerência é indispensável sempre que o sagrado vocábulo PROTEÇÃO se estenda a alguns mas a outros não, ou estaremos pregando no deserto que antes era um lago e comendo gafanhotos em fatídica extinção, também.

    Resposta

Deixe uma resposta