#UmDiaNoParque: em 22 de julho, visite parques nacionais, fotografe e publique com a hashtag

Você sabia que o Brasil tem a maior biodiversidade do planeta e que boa parte desse patrimônio natural é protegido por Unidades de Conservação? São mais de 2.500 áreas de proteção ambiental, que ocupam 17% do território nacional e garantem a conservação de florestas, savanas, rios e oceanos, preservando a riqueza biológica e cultural.

Isso não só garante a sobrevivência de inúmeras espécies como a qualidade de vida da população em seu entorno, já que pode servir de base para iniciativas de desenvolvimento sustentável.

Existem doze categorias de unidades de conservação, cuja sigla que facilita citá-las é UC. Entre elas, estão os parques nacionais, as reservas biológicas, reservas de desenvolvimento sustentável, reservas extrativistas, os monumentos naturais, refúgios, Apas (Áreas de Proteção Ambiental) etc. Destas, os parques nacionais são os mais reconhecidos pelo público, mas muito poucos são visitados com frequência, como acontece nos da Tijuca, Iguaçu, Fernando de Noronha e nas chapadas dos Veadeiros (foto acima), Diamantina (foto abaixo, o Poço do Diabo, em Lençóis) e dos Guimarães.

E é justamente essa realidade que a Coalizão Pró-Unidades de Conservação (conto um pouco sobre ela no final deste post) quer mudar, por isso, escolheu os parques nacionais para iniciar a campanha Um Dia no Parque, mas claro que as demais categorias integram esta mobilização.

Coalizão reúne nove instituições que se propõem a reunir empresas e organizações da sociedade civil empenhadas na valorização e na defesa das Unidades de Conservação. Fazem parte desse coletivo a Rede Pró-UC, Fundação SOS Mata Atlântica, Conservação Internacional – CI Brasil, Fundação Grupo Boticário, Imaflora, Instituto Semeia, WWF-Brasil, The Nature Conservacy – TNC Brasil Imazon.

Inspirada no Big Park Day – realizado anualmente nos Estados Unidos para incentivar os americanos a acampar, fazer trilhas e escaladas, observar pássaros e estrelas, fazer picnics e curtir um dia inteiro nos parques nacionais -, a campanha Um Dia no Parque vai mostrar aos brasileiros que as Unidades de Conservação existem e podem estar mais próximas do que eles imaginam.

“Você não precisa viajar ao outro extremo do país para apreciar a natureza”, diz a bióloga da Fundação SOS Mata Atlântica, Erika Guimarães, especialista em parques e reservas. “Valorizar parques e reservas é reconhecer a importância das áreas verdes protegidas para nossas vidas”, completa. E Angela Kuczach, diretora-executiva da Rede Pró UC, completa: “Nosso objetivo é divulgar a existência das unidades de conservação, mostrar que elas estão perto da gente. É muito comum as pessoas frequentarem um parque ou uma Apa (Área de Preservação Ambiental) e nem saberem que estão dentro de uma unidade de conservação”.

Mas o objetivo da Rede não se limita a revelar esse conhecimento e incentivar as pessoas a incluirem as Unidades de Conservação em seu lazer, mas também mostrar que, sem essas áreas, não haveria qualidade de vida nos centros urbanos. Basta dizer que as UCs são responsáveis por cerca de 35% da água consumida no país.

Como participar da campanha

Participarão desta mobilização tanto parques nacionais (federais) – que estão sendo convidados pelo ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservacao da Biodiversidade) -, como também parques estaduais e municipais. “Neste caso, estamos contatando as secretarias estaduais e municipais do meio ambiente de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Paraná, para convidar suas unidades para aderirem à campanha”, conta Angela Kuczach.

E ela acrescenta: “Estamos fazendo contato direto com algumas áreas identificadas como emblemáticas, que a gente considera como símbolos do país – como Fernando de Noronha, Itatiaia, Veadeiros, Diamantina, Guimarães, Tijuca, Iguaçu, Serra dos Órgãos, entre outros. É muito importante que estejam dentro da campanha”. Além disso, a Rede está conversando com grupos de birdwatching, trilheiros, escaladores e outros grupos ativos na natureza para que proponham atividades especiais nesse dia e convidem o público.

E como você pode participar? Há duas formas de se mobilizar e ajudar a tornar o dia 22 de julho ainda mais especial no Brasil.

Uma, é visitar as UCs que estão aderindo à campanha. Os nomes dos parques nacionais e outras unidades que toparem desenvolver atividades específicas nesse dia serão divulgados até sexta, 20/7, no site Unidos Cuidamos (da Coalizão) e na página da campanha no Facebook. O Parque Nacional Fernando de Noronha, por exemplo, vai promover uma passarinhada ou caminhada de observação de aves.

Quem quiser fazer pesquisa sobre as unidades de conservação existentes no Brasil, vá ao Observatório das UCs no site do WWF-Brasil. Você fazer consultas por estado, cidade, unidades com proteção integral, unidades com uso sustentável, pelo nome da unidade… A página dá ideia da dimensão do nosso vasto “mundo natural”.

Outra forma é ir ao parque que quiser – nacional, estadual ou municipal! -, em boa companhia, e curtir o espaço ao máximo, inclusive praticando a atividade de que mais gosta. Pode ser caminhada, trilha, escalada, passeio de bike, fazer um picnic (tomando cuidado para não deixar rastros, quero dizer, resíduos!) ou simplesmente contemplara paisagem…

E importantíssimo! Seja lá em que lugar da natureza você estiver, fotografar os melhores momentos e divulgar em suas redes sociais (Instagram, Facebook, Twitter…) com a hashtag #UmDiaNoParque.

Angela Kuczach explica que esta campanha terá vida longa. “Nosso objetivo é criar uma cultura de reconhecimento e valorização das Unidades de Conservação pela população brasileira. Então, assim como temos dias de conscientização e celebração do tigre, do gorila, contra o Câncer de Mama, e os americanos têm a National Parks Week, queremos estabelecer uma data para incentivar a visitação dessas unidades no Brasil. Um Big Park Day brasileiro!”.

A ideia é que, a partir desse dia, a hashtag #UmDiaNoParque seja adotada por todos os usuários de redes sociais sempre que estiverem ao ar livre, curtindo a natureza. Então, use e abuse dela!

Quanto à data, vai variar conforme o ano, mas será sempre próxima do aniversário do Sistema Nacional de Unidades de Conservação (SNUC), que é a Lei que rege as Unidades de Conservação, desde 2000. “Será realizado no fim de semana mais próximo, antes ou depois dessa data.

Sim, esta é uma ótima oportunidade para aproximar os brasileiros da natureza, o que faz um bem danado à saúde, em todos os sentidos. Ter contato com o verde, os bichos e o ar puro, cura tudo e traz benefícios imensuráveis para crianças e adultos. Ainda mais pra quem vive em grandes centros urbanos.

Além disso, a gente não cuida do que não conhece, certo? Então, saber onde estão as áreas protegidas do país vai não só estimular os brasileiros a brincar e praticar atividades ao ar livre, como também ajuda-los a se tornar mais conscientes da importância da preservação do meio ambiente.

Foto: Marcos Amend no destaque (Parque Nacional Chapada dos Veadeiros) e Mônica Nunes (Poço do Diabo, em Lençóis, Chapada Diamantina)

Jornalista com experiência em revistas e internet, escreveu sobre moda, luxo, saúde, educação financeira e sustentabilidade. Trabalhou durante 14 anos na Editora Abril. Foi editora na revista Claudia, no site feminino Paralela, e colaborou com Você S.A. e Capricho. Por oito anos, dirigiu o premiado site Planeta Sustentável, da mesma editora, considerado pela United Nations Foundation como o maior portal no tema. Integrou a Rede de Mulheres Líderes em Sustentabilidade e, em 2015, participou da conferência TEDxSãoPaulo.

Mônica Nunes

Jornalista com experiência em revistas e internet, escreveu sobre moda, luxo, saúde, educação financeira e sustentabilidade. Trabalhou durante 14 anos na Editora Abril. Foi editora na revista Claudia, no site feminino Paralela, e colaborou com Você S.A. e Capricho. Por oito anos, dirigiu o premiado site Planeta Sustentável, da mesma editora, considerado pela United Nations Foundation como o maior portal no tema. Integrou a Rede de Mulheres Líderes em Sustentabilidade e, em 2015, participou da conferência TEDxSãoPaulo.

Deixe uma resposta