Uma mulher sem fronteiras

uma-mulher-sem-fronteiras
Durante nossa (minha e do Fê) passagem pela Zâmbia, tive o privilégio de conhecer Claire Albrecht, uma norte americana que se apaixonou pela África durante uma viagem de voluntariado (ela é a moça de camiseta rosa e óculos, à esquerda na foto).

Em regiões de extrema pobreza e vulnerabilidade, há quem enxergue somente escassez. Claire enxergou oportunidades e resolveu se mudar para Kasama, uma pequena cidade no interior da Zâmbia.

Nessa região, meninas se casam antes dos 18 anos, são privadas de concluir os estudos e buscar uma profissão que lhes encantem. A maioria é incentivada – e quase sempre obrigada – a cuidar dos afazeres domésticos, enquanto o pouco dinheiro que sobra na família é investido na mensalidade da escola dos filhos homens.

Observando essa realidade, Claire percebeu que, se nada fosse feito, as meninas de Kasama continuariam rendidas a um ciclo vicioso, que se restringia ao casamento e gravidez precoces, além da completa ausência de possibilidades de estudo e profissionalização.

Foi quando, em 2009, Claire fundou a Bakashana, uma organização sem fins lucrativos que suporta, acompanha e empodera meninas da zona rural, patrocinando seus estudos e oferecendo atividades e conteúdo extracurricular que tratam de assuntos muito pouco conhecidos e debatidos por elas.

Além de trazer consciência e possibilidade de novas escolhas a essas meninas, Claire também prioriza o envolvimento comunitário e a apreciação das tradições culturais, como forma de honrar a história de cada uma e renovar conceitos que não cabem mais na sociedade moderna.

O relato detalhado dessa visita e um pouco mais sobre a história da Claire, estão registrados em post que escrevi durante a viagem no site do nossa iniciativa: Think Twice Brasil.

Até agora, 20 meninas já conseguiram patrocínio para seus estudos por meio de doações que chegam de todas as partes do mundo. Já há, inclusive, um primeiro grupo de jovens seguindo para a faculdade, também com a ajuda de doadores.

Eu e Fê patrocinamos as taxas escolares da jovem Rabecca, que agora poderá seguir com os estudos com uma preocupação a menos. Somos atualizados habitualmente, entre cartas e e-mails, sobre os avanços e novidades a respeito do desenvolvimento dela e, assim, conseguimos acompanhar mais de perto sua evolução.

Claire nos ensina que não há fronteiras para se viver uma vida com propósito e compartilhar com os outros os privilégios que temos a sorte de usufruir.

Que tal conhecer mais dessa história, realizar sua doação ou financiar os estudos de uma jovem? É só acessar o site da iniciativa de Claire.

Foto: Gabriele Garcia, feita no Vilarejo de Lukupa, no interior da Zâmbia

Gabriele Garcia

Sonhadora, feminista e apaixonada por pessoas e histórias. Trabalhou por dez anos como advogada e em 2014 deixou o escritório para empreender o Think Twice Brasil, cujo primeiro projeto – Experiência de Empatia – foi uma viagem de 400 dias por 40 países para se aprofundar no aprendizado e identificação de soluções para desigualdade social e de gênero. De volta ao Brasil, está à frente do Instituto Think Twice Brasil e de projetos ligados à justiça social e de gênero.

Deixe uma resposta