“Uma mentalidade cega e destruidora privilegia o lucro sobre a justiça na Amazônia”, diz o Papa Francisco

“Uma mentalidade cega e destruidora privilegia o lucro sobre a justiça na Amazônia", diz o Papa Francisco

“A situação da Amazônia é um triste paradigma do que está acontecendo em muitas partes do planeta: uma mentalidade cega e destruidora que favorece o lucro à justiça; coloca em evidência a conduta predatória com a qual o homem se relaciona com a natureza. Por favor, não esqueçam que justiça social e ecologia estão profundamente interligadas”.

A frase acima faz parte de uma mensagem enviada pelo Chefe da Igreja Católica, o Papa Francisco, no último sábado (06/07), aos participantes do 2º Fórum das Comunidades ‘Laudato si’*.

O evento, realizado na cidade de Amatrice, na Itália, tinha como tema “Planeta Amazônia”. Ainda na carta, o Sumo Pontífice disse que “o homem não pode permanecer um espectador indiferente diante dessa destruição, nem a Igreja deve ficar em silêncio”.

Francisco alertou ainda sobre a necessidade da proteção dos povos indígenas. “O que está acontecendo na Amazônia terá repercussões em nível planetário… Já fez com que milhares de homens e mulheres perdessem seus territórios, tornando-se estrangeiros na própria terra, empobrecidos da própria cultura e das próprias tradições”.

Amazônia em risco

Recentemente, o papa encontrou-se com o cacique brasileiro Raoni, em Roma. O líder indígena contou sobre as ameaças à Amazônia e ao Xingu, provocadas principalmente por madeireiros, mineradoras e o agronegócio.

O discurso de Francisco acontece em um momento que o mundo inteiro tem seus olhos voltados para a atual (des)política de conservação ao meio ambiente do governo Bolsonaro, que tem enfraquecido cada vez mais os órgãos de proteção ambiental.

Um desses exemplos é o Fundo Amazônia, que pode ser extinto porque o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, quer autonomia para gerir recursos e o comitê que o orienta.

Criado em 2008, o fundo promove e apoia financeiramente projetos para a prevenção e o combate ao desmatamento e também, para a conservação e o uso sustentável das florestas na Amazônia Legal, área que compreende nove estados brasileiros e corresponde a quase 60% do território nacional.

Financiado principalmente pelos governos da Noruega e da Alemanha, seus recursos são geridos pelo Banco Nacional de Desenvolvimento (BNDES). Agora a iniciativa está ameaçada porque os dois países não aceitam alterações propostas por Salles sobre uso do dinheiro e gestão do comitê orientador.

Aliado a todos esses graves problemas, o desmatamento da Floresta Amazônica cresce mês a mês. Em maio, foram quase 800 km2 de destruição: aumento de 26% em relação a 2018.

Em outubro, o Vaticano realizará um novo encontro para falar dos problemas da Amazônia, durante a “Assembleia Especial do Sínodo dos Bispos para a região Pan-amazônica”. O evento pretende avaliar os desafios e buscar soluções comuns para as mais de 30 milhões de pessoas que vivem lá.

*‘Laudato si’ é o nome da encíclica sobre Meio Ambiente, lançada em 2015 pelo Papa Francisco, em que ele denunciou, de forma veemente, a exploração dos pobres e o desperdício dos recursos naturais.

Leia também:
Barco-hospital Papa Francisco atenderá mais de mil comunidades no Pará, na Amazônia
Papa Francisco “puxa a orelha” de ministros das finanças de diversos países em encontro sobre mudanças climáticas no Vaticano
Papa Francisco, entre os homenageados do Prêmio Chico Mendes de Florestania
Papa Francisco pede ações concretas para combate ao lixo plástico nos oceanos

Foto: reprodução Facebook Vatican News

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Um comentário em ““Uma mentalidade cega e destruidora privilegia o lucro sobre a justiça na Amazônia”, diz o Papa Francisco

  • 9 de julho de 2019 em 7:59 AM
    Permalink

    Exigimos que a JUSTICA DO BRASIL SE PRONUNCIE CONTRA O MINISTRO DO MEIO AMBIENTE !ELE ESTÁ A SERVIÇO DOS GRANDES BANCOS E SÓ PROCURA O LUCRO !DESTRUINDO A RIQUEZA ATE PLANETARIA !

    Resposta

Deixe uma resposta