Uma flor: o presente do espaço para o planeta Terra

flor cultivanda no espaço

Esta semana, esta linda zínianome da flor acima – ganhou as manchetes das principais publicações do mundo. É que no último sábado (16/01), o astronauta americano Scott Kelly postou em seu Twitter a foto da planta que foi cultivada e floresceu no espaço.

A notícia revela diversos fatos surpreendentes. Kelly é um dos tripulantes da Estação Espacial Internacional. Há quase 300 dias no espaço, ele tuíta diariamente. Hoje mesmo, postou uma imagem deslumbrande mostrando a aurora boreal vista da estação (veja ao final deste post).

A zínia que floresceu no espaço, faz parte de um projeto da Agência Espacial Americana (NASA) para estudar o cultivo de vegetais e plantas em condições adversas.

Em agosto do ano passado, a agência americana já havia divulgado que os astronautas tinham comido alface pela primeira vez, a bordo da Estação Internacional.  O vegetal foi cultivado na horta, cuidada por eles.

Todavia, nada é fácil a milhões de quilômetros de distância do planeta Terra. Sem gravidade e sem a luz do sol, como fazer sementes crescerem?

A zínia que ficou famosa ao redor do mundo por pouco não se tornou um projeto fracassado. Durante os últimos meses, os astronautas responsáveis por cuidar da planta, tiveram que lidar com mofo, seca e água demais nas raízes. Receberam instruções de jardinagem de especialistas da Terra. “Houve telefonemas de madrugada e tuítes desesperados”, brinca a equipe.

Duas outras zínias morreram. A espécie, originária do México, é uma planta de clima seco e quente. Necessita de luz solar direta. Mesmo assim, os astronautas conseguiram que duas delas prosperassem.

O feito pode parecer insignificante. O que realmente muda para a humanidade uma flor ter crescido no espaço? Talvez muito pouco. Ou quase nada.

Mas a zínia traz para o planeta Terra, que aparece exuberante ao fundo da fotografia, uma mensagem linda e importante.

Em uma época em que tantas más notícias inundam as redes sociais e a mídia – aquecimento global, guerras, ondas de refugiados, para citar só algumas -, não podemos nos esquecer que o homem é capaz de viver por meses e meses numa estação no meio do espaço sideral.

Scott Kelly consegue se comunicar várias vezes por dia conosco. Ele tem quase 800 mil seguidores no Twitter. E agora, a zínia.

Se o ser humano pode fazer tantas coisas inimagináveis como estas, não há dúvida de que ele é capaz de muito mais. Tecnologia já existe. Não há dúvida sobre isso.

Então, reduzir o aquecimento global, as desigualdades sociais e o desequilíbrio do Planeta é só uma questão de tempo, certo?  Somos otimistas e temos certeza que podemos.

aurora boreal vista do espaço

Aurora boreal vista do espaço em tuíte do austronauta Scott Kelly

horta-estacao-espacial-800
A horta da Estação Espacial Internacional 

Fotos: divulgação Nasa e reprodução Twitter Scot Kelly 

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou em Zurique, na Suíça, de onde colaborou para diversas publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Info, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Atualmente vive em Londres.

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou em Zurique, na Suíça, de onde colaborou para diversas publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Info, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Atualmente vive em Londres.

Um comentário em “Uma flor: o presente do espaço para o planeta Terra

Deixe uma resposta