Uma árvore para os céus

pinheiro como árvore de Natal

Escrever sobre árvore de Natal  é sem dúvida um privilégio para mim, que amo as árvores e o Natal. Sei que a tradição de trazer para dentro de casa a ponta de cima de um pinheiro começou na Alemanha e depois foi adotada pelos ingleses e por fim, difundida para quase todo o mundo cristão.

Tudo faz sentido quando há frio e neve. O pinheiro é a única árvore que permanece verde durante o rigoroso inverno. Dá para imaginar como deve ser impactante sua presença numa sala em pleno inverno nos países do Hemisfério Norte!

Ele exala um perfume característico e calmante. Deixa o ambiente favorável para reuniões e festas e foi assim que nasceu a tradição. O pinheiro representa o renascimento e a devoção à Deus. Não é apenas  uma coincidência que os pináculos (pontos mais altos) das igrejas tenham a mesma forma. Por ser uma conífera, árvore que contém resina em suas folhas e troncos, suporta temperaturas muito baixas e estações muito secas.

Nós aqui do mundo tropical também temos vários  tipos de pinheiros, alguns trazidos pelos colonizadores, outros pelos imigrantes. Mas alguns deles são nativos da América do Sul, como é o caso da Araucária.

As espécies mais usadas para o Natal e para o paisagismo nos jardins são o Cedro, a Tuia e os Ciprestes. Mas nos dias de hoje,  com tantos problemas com a falta de árvores nas cidades, vamos tentar ser um pouco mais conscientes? Para quem decidir comprar uma árvore natural, não deixe de plantá-la depois das festividades no chão.

Para isso, é importante que se preserve o torrão da raiz para que ela não se rompa, mantendo a integridade da árvore. Assim, depois será possível transplantá-la para um lugar definitivo.

Para plantar o pinheiro, é necessário começar com um pequeno vaso e ir mudando na medida em que a planta for tomando corpo.  Pode levar até quatro anos para atingir 2m (basta seguir os passos para plantar e cuidar de qualquer tipo de cultivo em vaso, como ensinei no post Cada planta com seu torrão).

Quando chegar a hora do transplante da árvore, escolha um lugar com espaço amplo. Faça um bom buraco, tendo em mãos um cabo de vassoura ou qualquer madeira para compactar a área adjacente às raízes até a metade de sua altura para que a árvore fique firme e não entorte com o vento e as regas.

Coloque a terra pouco a pouco, firmando as camadas ao redor das raízes até que a árvore esteja bem firme e a metade do torrão esteja coberta, somente então cubra a outra metade com a terra.

Esta segunda metade não deve ser muito compactada para que as raízes se desenvolvam e o solo absorva a água. Depois é só seguir acompanhando o seu crescimento.

E que tal, ser ainda mais ambicioso e semear com seus filhos um pinheiro para que a lição de plantar uma árvore se eternize? Pode ser difícil encontrar a semente, principalmente para aqueles que vivem nas regiões mais quentes, porém, uma vez semeada, a árvorezinha cresce rapidamente.

Espero que seu Natal seja cheio de amor e alegria e que seu pinheiro inunde de aroma o seu lar e depois seu jardim, trazendo muita paz a você e toda sua família!

Foto: domínio público/pixabay

Geógrafa, paisagista, educadora ambiental e ilustradora científica. Começou a carreira em São Paulo como consultora paisagística. Durante 10 anos viveu no exterior (Austrália, Israel e USA) e neste último país, firmou suas habilidades para trabalhar com crianças. Atualmente dá aulas de horticultura para alunos do Ensino Fundamental, em Brasília. Também desenvolve projetos junto à Cia da Horta para centros de ensino, clubes e empresas.

Liliana Allodi

Geógrafa, paisagista, educadora ambiental e ilustradora científica. Começou a carreira em São Paulo como consultora paisagística. Durante 10 anos viveu no exterior (Austrália, Israel e USA) e neste último país, firmou suas habilidades para trabalhar com crianças. Atualmente dá aulas de horticultura para alunos do Ensino Fundamental, em Brasília. Também desenvolve projetos junto à Cia da Horta para centros de ensino, clubes e empresas.

3 comentários em “Uma árvore para os céus

Deixe uma resposta