Um presente para o seu jardim neste Natal!

Um presente para o seu jardim:

O Natal está quase aí! A casa vai ficando toda enfeitada de luzes e cores. No jardim, sol e chuva e quem sabe, entre a passagem de um e o outro, dá um tempinho para planejar um piquenique, uma festa ou um churrasco?

O jardim é o lugar ideal para fazer festas: deixar a criançada explorar, correr, sentinr os perfumes da terra. Ao ar livre, se dorme com o céu infinito como um imenso cobertor, se cresce com mais liberdade.

Quem já viu o sapo cururú, por exemplo? Para as crianças, a descoberta de um sapo no jardim é inesquecível! Aquele ser camuflado e escondido nas folhagens, que vive de comer moscas e mosquitos tão incômodas no verão.

Mas se por acaso não há um sapo de verdade no seu quintal, por que então não presentear seu jardim ou varanda com um objeto de decoração? Uma estatueta para velar pelo mundo infantil, um personagem de contos ou simplesmente uma pequena lembrança para que esse espaço vá um pouco mais além da sua função inicial e estimule a imaginação?

Que tal povoar o espaço com um objeto admirado ou um trabalho de reciclagem? Um sapato velho que vira vaso, um guarda-chuva quebrado transformado em escultura luminosa… Vale qualquer manifestação de vida, de inclusão, assim o seu jardim será habitado também pela fantasia,  pelo simbólico.

Na vida das crianças somos capazes de entender essa necessidade , mas a vida do adulto também pode ter um lugar para a  alegria e  o divertimento ingênuo.

decoração no jardim

Use a criatividade e presenteie seu jaridm com carinho

Fora do Brasil, nos países da Europa, Austrália, Canadá e Estados Unidos, esses adornos povoam a infância de milhares de pessoas. É o caso dos alemães, famosos por seus anões de jardim. Já na Flórida, é comum o uso de flamingos. Na Inglaterra, eles gostam das salamandras, estatuas de coelhinhos, pássaros e rãs e até mesmo, figuram histórias infantis maravilhosas, como as escritora, poetisa e naturalista Beatrix Porter.

Aqui no Brasil, antigamente, via-se pelas paredes externas das casas, andorinhas oriundas da tradição portuguesa, que representavam o retorno dos bons tempos (o verão). Quem sabe deveríamos fazer ressurgir contos e lendas da nossa cultura, com nossos personagens mais queridos, um Visconde de Sabugosa lendo em cima de uma pedra, um Saci Pererê escondido nas folhas de bananeiras?

Passeando pelos variados jardins e varandas brasileiras vê-se  rodas e carros de boi, peças antigas de velhos moinhos, canoas antigas, chaleiras de ferro, moças de barro debruçadas nas janelas, fontes para os passarinhos, bandeirinhas coloridas de pano e jarros deitados com flores plantadas em efeito cascata, cada região com suas particularidades.

A apropriação do espaço é feita também através destes símbolos e não sabemos ao certo como impactam a vida de quem passa e os vê, mas certamente, eles são uma mensagem de acolhimento e esperança no jardim, um marco de conquista e possivelmente, a porta de entrada para o mundo subjetivo, um lugar de contemplação, longe dos afazeres e das complicações da vida.

Para quem me acompanha aqui no Conexão Planeta, gostaria de aproveitar a oportunidade e desejar a todos um Feliz Natal e um Ano Novo com muita mão na terra, plantas em profusão e alegria na sua horta e jardim!

Fotos: domínio público/pixabay

Geógrafa, paisagista, educadora ambiental e ilustradora científica. Começou a carreira em São Paulo como consultora paisagística. Durante 10 anos viveu no exterior (Austrália, Israel e USA) e neste último país, firmou suas habilidades para trabalhar com crianças. Atualmente dá aulas de horticultura para alunos do Ensino Fundamental, em Brasília. Também desenvolve projetos junto à Cia da Horta para centros de ensino, clubes e empresas.

Liliana Allodi

Geógrafa, paisagista, educadora ambiental e ilustradora científica. Começou a carreira em São Paulo como consultora paisagística. Durante 10 anos viveu no exterior (Austrália, Israel e USA) e neste último país, firmou suas habilidades para trabalhar com crianças. Atualmente dá aulas de horticultura para alunos do Ensino Fundamental, em Brasília. Também desenvolve projetos junto à Cia da Horta para centros de ensino, clubes e empresas.

Deixe uma resposta