Turismo rural no extremo sul de São Paulo proporciona imersão no dia a dia dos agricultores

A região de Parelheiros, no extremo sul do município de São Paulo, concentra centenas de produtores rurais que cultivam alimentos e plantas ornamentais. Nesse universo, há um grupo, reunido pela Cooperativa Agroecológica dos Produtores Rurais e de Água Limpa da Região Sul de São Paulo (Cooperapas), que produz verduras e hortaliças de modo orgânico, escoando esses alimentos por meio de feiras, eventos, venda direta e cestas.

A experiência de viver o cotidiano desses agricultores e agricultoras, ouvir suas histórias, comer sua comida, visitar seus canteiros e colher os alimentos direto da terra é única.

Apostando nessa pegada, no chamado turismo comunitário, um grupo de agricultores orgânicos de Parelheiros integrantes dessa cooperativa estruturou, junto com parceiros, o Programa Acolhendo em Parelheiros. Participam dessa jornada o Instituto Brasileiro de Estudos e Apoio Comunitário (IBEAC), a Associação de Agricultores Acolhida na Colônia (localizada em Santa Catarina e inspiradora do programa), a Araribá Turismo e Cultura e o Sesc São Paulo.

Já abordei esse programa, aqui, no Conexão Planeta, no ano passado, mas ele ainda estava dando os primeiros passos, se estruturando para receber melhor os grupos interessados em conhecer essa realidade de perto. Agora, o Acolhendo em Parelheiros já tem até um site, no qual é possível agendar visitas, conhecer um pouco das propriedades e da história das pessoas que acolhem os grupos em cada uma delas.

Além das áreas produtoras de alimento, o visitante também pode conhecer espaços culturais. Hoje, sete propriedades integram o Programa, mas há expectativa de ampliar esse número, abrangendo outros produtores orgânicos da região. Conheço quase todas as propriedades, e muitos dos agricultores e agricultoras que recebem os grupos em suas casas.

Em janeiro do ano passado, fiquei hospedada alguns dias em uma das propriedades, a Nossa Fazenda, morada de Valéria e Vânia, para realizar um trabalho de campo envolvendo os produtores agrícolas locais. Na época, o Acolhendo em Parelheiros começava a ganhar corpo. As duas já tinham experiência com esse tipo de atividade, recebendo grupos e escolas interessados em conhecer a região e o cultivo agrícola.

Esse contato estreito com as duas me levou a contar, neste blog, como esse programa começava a se delinear. Nem preciso dizer que foram dias muito especiais, e que guardo ainda hoje na memória gustativa os sabores que Vânia me apresentou nas refeições.

O extremo sul do município de São Paulo é uma região muito rica em termos ambientais, abrigando duas Áreas de Proteção Ambiental que concentram uma rica fauna e flora, com ocorrência de grandes mamíferos como antas e onças pardas. Além disso, a produção agrícola que se desenvolve por lá contribui para minimizar desmatamentos e ocupações e para preservar a região. Ali também estão os últimos rios limpos da cidade, responsáveis por produzir cerca de 30% da água que abastece São Paulo.

Conhecer a realidade dos agricultores e agricultoras orgânicos na região é uma experiência muito positiva. Estar no campo, comer uma comida caseira fresquinha, ouvir histórias, descobrir novas plantas e ainda colher os alimentos direto da terra é de uma riqueza que dificilmente alguém imaginaria que São Paulo, com toda sua urbanidade, poderia proporcionar.

Foto: Mônica Ribeiro

Mônica Ribeiro

Jornalista e mestre em Antropologia. Coordenou a Comunicação da Secretaria do Verde da Prefeitura de São Paulo – quando criou as campanhas ‘Eu Não Sou de Plástico’ e, em parceria com a SVB, a ‘Segunda Sem Carne’. Colaborou com a revista Página 22, da FGV-SP, e com a Unisol Brasil. Hoje é conectora – trabalha linkando projetos e pessoas de todas as áreas na comunicação para um mundo melhor

Deixe uma resposta