Trump volta a debochar do aquecimento global diante de onda de frio polar que castiga os Estados Unidos

Trump volta a debochar do aquecimento global diante de onda de frio polar que castiga os Estados Unidos

“No belo meio-oeste, as temperaturas do vento estão chegando a – 50oC, o maior frio já registrado. Nos próximos dias, espera-se que fique ainda pior. Nem por poucos minutos as pessoas aguentam ficar na rua. Que diabos está acontecendo com o aquecimento global? Por favor, volte rápido, precisamos de você!”

Algum palpite sobre quem escreveu a imensa baboseira acima?! Lógico, Donald Trump! Mais uma vez, o presidente dos Estados Unidos usou sua conta no Twitter para tornar pública sua ignorância e reafirmar sua completa falta de respeito pela Ciência. E debochar, sem vergonha nenhuma, dos próprios americanos, que estão sendo castigados com temperaturas excruciantes, provocadas por uma onda polar, que está trazendo ventos do Ártico para o país. Até o momento, 12 pessoas já morreram por causa do frio.

Pouco menos de 30 minutos após o tuíte de Trump, a Agência Nacional Oceânica e Atmosférica dos Estados Unidos (NOAA, na sigla em inglês) usou a mesma rede social para responder, dessa vez com fatos e inteligência, ao presidente: “Tempestades de inverno não provam que o aquecimento global não está acontecendo”.

A NOAA incluiu ainda o link de uma matéria, publicada em 2015, em que cientistas explicam que nevascas dependem de dois fatores: umidade e temperaturas de congelamento do ar. “Há muitos lugares onde as temperaturas do inverno teriam que subir 10, 20, até 30 graus Fahrenheit, antes que parasse de nevar. Até lá, as tempestades de neve continuam sendo possíveis e os padrões climáticos naturais e a variabilidade aleatória ainda levarão a invernos que são invulgarmente frios e com neve em diferentes locais”.

O que Trump, até hoje, ainda não conseguiu entender (teria ele faltado às aulas de Ciências na escola?!) é que tempo e clima são duas coisas diferentes.

O tempo é um estado momentâneo das condições atmosféricas ou meteorológicas de um dado lugar, em um determinado momento e está sujeito a variações. Enquanto o clima diz respeito a um período muito maior, uma condição duradoura de certos fenômenos meteorológicos. Pode-se dizer, por exemplo, que hoje o tempo em São Paulo está muito frio, mas o clima dos últimos anos têm registrado temperaturas mais altas do que no passado.

Mas Trump definitivamente não está interessado em saber a diferença entre tempo e clima. Prefere manter sua ignorância e continuar estimulando o investimento em fontes de energia sujas, como o carvão, e acabando com leis de proteção ambiental em parques e reservas naturais (leia mais aqui ).

Na sequência de seu tuíte, americanos responderam ao presidente com desprezo. “Você é um completo idiota. Um vírus de estupidez. Totalmente desprezível’, escreveu um deles.

Uma pesquisa realizada pelos centros de estudos de mudanças climáticas das universidades de Yale e George Mason, em dezembro de 2018, revelou que 73% dos americanos dizem que o aquecimento global é real e 72% afirmam que o assunto é importante para eles.

Há poucas semanas, a líder dos democratas, Nancy Pelosi, falou diretamente a Trump em seu discurso. “A população americana entende a urgência… Por isso mesmo estamos criando um comitê sobre mudanças climáticas para acabar com essa falta de ação e a negação do conhecimento da Ciência, que ameaçam o planeta e o futuro”. A parlamentar foi aplaudida de pé pelos membros do congresso.


Americanos devem enfrentar temperaturas iguais aos do Ártico nos próximos dias

Leia também:
Dezenas de animais selvagens morrem com calor extremo na Austrália
“O Jardim do Éden não existe mais”, diz naturalista David Attenborough, sobre impacto do homem no planeta
Degelo da Antártica atinge nível alarmante: uma aceleração de 280% nas últimas quatro décadas
Aquecimento dos oceanos é maior do que estimado e nível do mar poderá subir 30 cm até o final do século
Brasil sobe no ranking dos países mais atingidos por eventos climáticos extremos

Fotos: domínio público/pixabay e reprodução Twitter

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Um comentário em “Trump volta a debochar do aquecimento global diante de onda de frio polar que castiga os Estados Unidos

  • 31 de janeiro de 2019 em 10:34 AM
    Permalink

    Se não for reeleito, ele irá embora em janeiro/2021, é só esperar rezando para ele não bagunçar mais esta desordem chamada Terra, estudando a lição e fazendo o dever de casa direitinho para não esquecer na hora de escolher o próximo cara que vai interferir nos destinos do Planeta. Imprescindível lembrar o que precisamos realmente valorizar e o que descartar, jogando no lixo ou reciclando, nisto incluindo pessoas e suas convicções acertadas ou não, que podem contribuir para apagar os incêndios com água ou gasolina porque, se bebés não sabem o que fazem, os loucos também não.

    Resposta

Deixe uma resposta