Temperatura global acima de 3oC deixará Rio de Janeiro embaixo d’água

Temperatura global acima de 3oC deixará Rio de Janeiro embaixo d’água

Imagem do apocalipse final? Não! A montagem que abre este post mostra como será o cenário do centro do Rio de Janeiro, em frente à Igreja da Candelária, caso a temperatura da superfície da Terra aumente mais do que 4ºC e por isso, o nível dos oceanos também fique mais alto.

A montagem da Candelária foi feita pela equipe da organização Climate Central, que reúne cientistas e jornalistas internacionais que estudam o impacto das mudanças climáticas. Através das projeções feitas pelos pesquisadores, com base em uma temperatura 3o C mais  alta do que a atual, cidades como Xangai, Osaka, Tóquio e Rio de Janeiro seriam gravemente afetadas. Miami e grande parte da Flórida ficariam completamente embaixo d’água.

Aumento da temperatura global de 3OC deixará embaixo d’água cidades do mundo todo, inclusive, brasileiras

Com o aumento do nível do mar, Miami Beach seria inundada

Estima-se que cerca de 275 milhões de pessoas, vivendo próximo a cidades costeiras, seriam impactadas com estas inundações. Recentemente, mostramos aqui, no Conexão Planeta, como as Nações Unidas fizeram um alerta de que os compromissos assumidos pelos países no Acordo de Paris para reduzir emissões de dióxido de carbono atendem apenas 1/3 da meta até 2030.

O Acordo de Paris, assinado em novembro de 2015, limita o aquecimento global a menos de 2oC, mas compromissos mais ambiciosos poderiam levar o mundo até 1,5oC. Se não cumprirmos nem a primeira meta – o que é bem provável diante do quadro atual de emissões -, o resultado será o agravamento dos impactos climáticos que já estão acontecendo, com graves riscos à saúde humana e às economias em todo o mundo.

“Um ano depois do Acordo de Paris ter entrado em vigor, ainda nos encontramos numa situação em que não estamos fazendo o suficiente para salvar centenas de milhões de pessoas de um futuro miserável“, exclamou Erik Solheim, chefe do PNUMA – Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente e o Desenvolvimento, ontem, em Genebra, na Suíça, na Assembleia do Meio Ambiente da ONU.  “Isto é inaceitável! Se investirmos nas tecnologias certas, garantindo que o setor privado esteja envolvido, ainda podemos cumprir a promessa que fizemos para proteger o futuro dos nossos filhos. Mas temos que entrar no caso agora”.

Xangai é outra cidade que será afetada pelo aumento da temperatura global

Infelizmente, não veremos somente inundações, caso o planeta fique mais quente. Se tornarão mais frequentes também ondas de calor extremo, como as que aconteceram no último verão na Europa, batizado de “Lúcifer”, incêndios, tempestades e furacões – os chamados extremos climáticos.

Parece que há pouco a se fazer para evitar o aumento da temperatura global – a concentração de dióxido de carbono na Terra acaba de bater novo recorde (leia mais aqui) – portanto, o que especialistas alertam é que um planejamento urgente de adaptação e resiliência precisa ser feito para estas cidades.

Difícil imaginar, entretanto, que com um estado quebrado devido à corrupção e péssima administração, o Rio de Janeiro, por exemplo, esteja investindo em planos para enfrentar os efeitos do aquecimento global – e futuro aumento do nível do mar – nas próximas décadas. Os cariocas ficarão à mercê do tempo, literalmente.

*com informações do The Guardian

Fotos: divulgação/Nickolay Lamm/Climate Central

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para várias publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, acaba de mudar para os Estados Unidos

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para várias publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, acaba de mudar para os Estados Unidos

2 comentários em “Temperatura global acima de 3oC deixará Rio de Janeiro embaixo d’água

  • 10 de novembro de 2017 em 7:56 AM
    Permalink

    Não é pra agora e é uma previsão. Nada vai mudar.

    Resposta
    • 10 de novembro de 2017 em 8:37 AM
      Permalink

      Assim esperamos também, Jaylei!
      Abraço,
      Suzana

      Resposta

Deixe uma resposta