Tecnologia transforma resíduos plásticos em blocos de construção

resíduos plásticos transformados em blocos de construção

As milhões de toneladas de resíduos plásticos, que estão matando a vida marinha em nossos oceanos e já se tornaram um dos maiores problemas ambientais da atualidade, agora podem ter um destino útil e inovador: serem transformadas em blocos para construção, uma espécie de tijolo ecológico.

A ideia vem da startup americana ByFusion, que desenvolveu a tecnologia que possibilita a compactação do lixo plástico em tijolos modulares, chamados de RePlasts. Segundo os criadores, além de duráveis, os blocos não precisam ser “colados” uns aos outros, funcionam como se fosse uma peça de Lego. Com isto, o bloco sustentável dispensa o uso de cimento, que para ser produzido consome uma quantidade absurda de energia, emitindo consequentemente um volume imenso de dióxido de carbono na atmosfera (o CO2, principal responsável pelo aquecimento global).

Qualquer tipo de plástico pode ser usado na máquina da ByFusion e os resíduos não precisam ser separados. Segundo a equipe da startup, os blocos são ideias para a construção de muros, proteção em estradas e em casas pequenas, de um andar só porque o RePlast não oferece a mesma resistência do que o concreto.

tecnologia-transforma-residuos-plasticos-blocos-construcao-engenheiro-800

O engenheiro Peter Lewis, responsável pelo desenvolvimento da tecnologia dos
tijolos sustentáveis da ByFusion

O compressor da ByFusion foi propositalmente desenvolvido para ter dimensões que comportem o seu transporte, ou seja, ele cabe dentro de um caminhão ou container e pode ser usado em qualquer lugar.

Em junho, a startup fechou uma parceria com a organização Sustainable Coastilnes Hawaii, que trabalha e promove a limpeza das praias do arquipélago americano. Um dos locais a fazerem parte do projeto piloto será o Parque Nacional de Papahānaumokuākea, região de grande biodiversidade do planeta. Infelizmente, apesar de esta ser uma área protegida, ainda assim recebe um volume enorme de toneladas de lixo plástico, que chegam até lá pelas correntes oceânicas.

“Esta é a uma área importantíssima não só para o Havaí, mas como para o mundo todo, pois possui uma extensa barreira de corais, habitat de mais de 7 mil espécies marinhas, o que representa 25% de toda a fauna e flora encontrada no arquipélago”, destacou Kahi Paccaro, diretor executivo da entidade.

Para poder levar a máquina até o Havaí e iniciar o projeto para a produção de RePlasts a partir de lixo plástico, a ByFusion está realizando uma campanha de crowdfuding no site Indie Gogo. Se bem sucedida, o dinheiro arrecadado também vai ajudar a startup a investir no aumento da produção dos blocos. Atualmente a máquina consegue fabricar 7 mil por dia, mas a expectativa é chegar a 10 mil.

A torcida é grande para que o projeto da ByFusion dê certo e receba o investimento necessário para se tornar uma solução em grande escala. Além de ter potencial para reduzir a emissão de carbono do setor da construção, ajuda a dar um fim ao plástico jogado em nossos oceanos.


Leia também:
Bactéria que come plástico PET pode ser solução contra poluição? 
Transformar plástico em energia: solução para acabar com o lixo nos oceanos?
Vídeo da Nasa revela ilhas de lixo no planeta
Estados Unidos proíbem uso de micropartículas plásticas em cosméticos
Lixo plástico ameaça 99% das aves marinhas


Fotos: divulgação ByFusion

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Um comentário em “Tecnologia transforma resíduos plásticos em blocos de construção

Deixe uma resposta